Instabilidade no Mediterrâneo, por Carlos Fino

Tunísia voltou esta semana às ruas num vasto movimento contra as medidas de austeridade decretadas pelo governo: cortes nos subsídios sociais e aumento de impostos, subida dos preços da gasolina, carros, comunicações telefónicas e internet, etc.

UM PAÍS “JUSTICIALESCO”

À evidência, todos os brasileiros corretos –e são a maioria—são contra a corrupção. A expressão popular “corrupção” envolve variada gama de crimes, entre os quais concussão, prevaricação, a corrupção propriamente dita

A terrinha está na moda, por Carlos Fino

Há meses que entre os meus amigos brasileiros – do Ceará a Santa Catarina, passando por Brasília – não se fala de outra coisa: são cada vez mais os “brazucas” que estão investindo no imobiliário em Portugal ou até mudando-se de malas e bagagens para viver na terrinha.

Sementes do Parlamentarismo

De 1962 a 1964, presidi, em São Paulo, o diretório metropolitano do Partido Libertador, única agremiação política que ostensivamente defendia o Parlamentarismo, à época.

A reforma política ideal

Há pelo menos dois anos o Conselho Superior de Direito da FecomercioSP se debruça sobre as diversas alternativas para uma reforma política.

A Assustadora Demolição Da Nação

A sexta feira foi marcada em todo o País por manifestações populares denominadas “Dia Nacional de Lutas”. Foi organizada por centrais sindicais e movimentos sociais e deu-se na maioria das capitais e no Distrito Federal.

O DISTRITÃO

A mais ousada, que constou de livro que coordenei com 26 juristas, filósofos, cientistas políticos e sociólogos (“Parlamentarismo: Utopia ou Realidade”), objetivava ver encampado pelo Congresso o referido sistema.

Portugal e seus Sabores

Após 30 dias de viagem por Portugal, posso atestar embora restritamente, por locais onde passei, o que vem a ser os sabores e delicias, tanto nos lugares, cidades, aldeias bares, restaurantes, eventos, as paisagens e delícias gastronômicas lusitanas.

A Revolução Russa e Eu, por Carlos Fino

Nessa altura, no interior do Alentejo, de onde vinha, a informação era pouca e a leitura escassa, embora houvesse grupo de teatro amador que levava à cena Almeida Garrett e, aos poucos, começassem, também, a chegar os livros dos primeiros neorrealistas.

Catalunha – sem diálogo, não há saída. Por Carlos Fino

Era o culminar de anos de um confronto larvar em que Madrid, sob a iniciativa dos conservadores do Partido Popular, conseguiu, de 2010 para cá – com recurso ao Tribunal Constitucional – não só travar o desejo de independência dos líderes catalães, como até reduzir ou eliminar algumas das prerrogativas e direitos de que já desfrutara Barcelona.

País Refém De Interesses Mesquinhos

Conforme havíamos previsto, mais uma vez o Congresso livrou a cara de Temer. Dias atrás, o Senado salvou, com o apoio do Executivo, o líder tucano mineiro, Aécio Neves, de ser investigado pelas acusações feitas pelo empresário da JBS

Política Degradada

Parece não haver limites para a degradação moral da política nacional nos dias de hoje. Política no Brasil passa muito longe dos ideais de benefícios que devem ser compartilhados ao máximo possível pelos membros de uma comunidade, onde a felicidade de cada um deve corresponder ao bem comum, a melhorias para todos

PORTUGAL E O “BREXIT”

Como todos sabem , o “Reino Unido” ou seja, a Inglaterra, a Escócia, a Irlanda, o País de Gales, consequentemente são partes do “Reino Unido” e bem como da “União Européia”, grupo de países da Europa

A Geringonça pegou fogo, por Carlos Fino

Com a demissão da ministra da administração interna e um pedido de desculpas tardio arrancado a ferros pela Oposição no debate parlamentar desta quarta-feira, António Costa não salva a imagem negativa do governo na gestão da crise gerada pelos incêndios

Falta Legitimidade Ao Governo

Semana passada a Suprema Corte definiu, por 10 votos a 1, que o pedido de investigação sobre denúncia feita pelo ex-procurador geral, Rodrigo Janot, contra Michel Temer, fosse encaminhado à Câmara dos Deputados

O Papel Constitucional das Forças Armadas

Ora, agiu, o Presidente da República, rigorosamente como deveria, não se omitindo na preservação da ordem e da lei, pois a Constituição permite o uso das Forças Armadas em tais circunstâncias.

Uma “Semana Da Pátria” deprimente

A república atarantada do Brasil não consegue uma pausa para tanta notícia ruim. Difícil a população conseguir começar a acreditar numa saída em curto prazo. Ela não se apresenta. Cada vez mais, a solução aponta para a saída da eleição em 2018.

Send this to a friend