Por:
Carlos Fino

BYE BYE BRASIL. Por Carlos Fino

Naquela que é porventura a sua obra-prima – “Bye Bye Brasil”, de final dos anos 70 – o cineasta brasileiro Cacá Diegues dá-nos conta, num registo realista com alguma evocação felliniana, da transformação por que passava então o país

Obama em Havana para o segundo funeral da Guerra Fria, por Carlos Fino

Em termos geoestratégicos, a visita de Obama a Cuba iniciada este domingo – a primeira de um presidente americano à ilha em quase um século – não tem certamente a importância de outras visitas históricas, como a de Nixon à China, em 1972, ou a de Reagan à Alemanha, em 1987, quando pediu a Gorbachev que pusesse termo à divisão do país.

Calma, o Brasil é grande!

A situação da Presidente Dilma Rousseff voltou a agravar-se, no começo desta semana, com a apresentação ao Tribunal Eleitoral, por parte do juiz da Operação Lava-Jato, Sérgio Moro, daquilo que seriam provas do financiamento ilegal da última campanha eleitoral com fundos provenientes do esquema de corrupção na Petrobras.

A era da instabilidade

Foi então que Fukuyama chegou a falar do “fim da história”, uma vez que a adesão ao modelo democrático e liberal abaria por eliminar progressivamente os maiores conflitos, abrindo-se uma era de paz internacional.

Piada de português e espírito do tempo

As piadas, com comentários irônicos à nacionalidade portuguesa, teriam partido do próprio presidente da Gradiente, sendo feitas por email, com conhecimento de outros executivos e empregados da empresa; algumas desqualificavam o trabalho do diretor, com expressões do tipo “isso é coisa de português” ou “só se for em Portugal”

A União Europeia no seu labirinto

Depois da Hungria – governada desde 2010 por um antigo partido liberal pós-comunista que se transformou num agrupamento de cariz nacionalista e autoritário, com posições claramente xenófobas (o Fidesz, de Viktor Órban) – é agora a vez da Polônia

Os PASSOS EM VOLTA

50 dias depois das eleições legislativas de Outubro e quase duas semanas após a queda do governo no Parlamento, Portugal continua sem um executivo em plenitude de funções.

O grande desafio da luta contra o terrorismo

Estes atentados foram o momento “Torres Gémeas” da França e percebe-se a indignação sem limites que suscitaram e a vontade de retaliar. Quer o presidente François Hollande, quer o primeiro ministro Manuel Valls insistiram que o país “está em guerra contra o terrorismo”

Rússia vira o jogo na Síria

Iniciada em 2011, a guerra civil na Síria alargou-se a partir do momento em que forças do EI passaram a controlar vastas regiões do Iraque e do norte da Síria, levando diferentes estados da região a intervir para tentar controlar a evolução dos acontecimentos.

Catalunha – independência vence, mas (ainda) não convence

Juntos pelo Sim (aliança entre a Convergência Democrática, CDC, de centro-direita, de Artur Mas, presidente do governo regional, e a Esquerda Republicana, ERC), juntamente com a Candidatura de Unidade Popular (CUP, marxista) – conquistaram mais assentos do que todas as restantes forças políticas juntas

Send this to a friend