Saudades do passado Celta

Milhares de anos se passarão, como milhares se passaram, no entanto, os CELTAS ficarão sempre no cerne do povo lusitano. Em eras passadas, de 3 a 4 mil anos um povo heroico vindo do centro da Europa chegou nas terras lusitanas, e diferente de outros povos que invadiram a Península Ibérica, uma vez que esses todos vindos do centro da Europa e avançando pelos países da época milenar, ali pararam na Lusitânia, uma vez que se defrontavam com o Oceano à sua frente. Todos esses povos, Godos, Visigodos, Álamos e outros, romanos e mouros exerciam o seu domínio por anos e até séculos a fio.
No entanto, no caso dos CELTAS, um magistral povo heroico, eram sobre-humanos, de uma concepção filosófica espetacular, e transmitiram a sua sabedoria ao povo lusitano, ensinaram a sua filosofia eterna. Se hoje o povo português tem um coração amoroso, humano, romântico, sábio, devemos em parte a esse maravilhoso povo CELTA.
Os CELTAS vieram do centro da Europa e, além dessa toda arte filosófica, histórica, poética que possuíam, eram conhecedores da “LIGA DO FERRO”, suas armas eram dotadas desse material, diferente de outros povos que invadiram a Península Ibérica em que as suas armas eram feitas à base de madeiramento, e que só após séculos e séculos os Romanos modificaram o panorama, visto que, eram conhecedores da “LIGA DO AÇO” e as suas armas superaram tudo.
Os CELTAS enturmaram-se com as tribos da época, com os Lusitanos, com os Iberos etc… E transmitiram a sua sabedoria, como eram então conhecedores do ferro, criaram imensas minas de ferro, mormente na região de Trás-os-Montes, que ainda existem vestígios latentes dessas minas, embora muitas foram aterradas.
Com a sua sabedoria de mestres eles deixaram muitos ditados filosóficos sobre a existência e muitas verdades eternas, como algumas que vamos expôr:
ANTIGA BENDIÇÃO CELTA: Que o Caminho siga a teu encontro. Que o Vento sempre esteja atrás de ti. Que a Chuva caia sempre sobre teus campos. Que tomara que voltamos a nos encontrar . Que Deus de sustente suavemente a palma de tua mão. Que sempre queiras viver suavemente. Que esqueças as coisas que te entristecem. Que nunca esqueças aqueles que te alegraram. Que vivas 100 anos, com 1 ano a mais para arrepender-te.
E centenas e centenas de ditados, todos maravilhosos, que instruíam o dia-a-dia dos lusitanos e outros povos ali existentes.
Para completar eu sonhando com esse povo CELTA, que com certeza tenho parte no meu DNA, porque também sou fruto milenar dessas povoações lusitanas, e mormente, de eras Trasmontanas, fiz uma poesia desse passado CELTA:

SAUDADES DO PASSADO CELTA!
Saudades de nosso passado,
De um tempo perdido,mas achado.
De Eras incríveis milenares.
De um tempo cheio de Olores!

Milhares de Anos já passaram,
E deles muitos seres lembraram.
Os Celtas, povo heroico majestoso,
Estão em nosso cerne maravilhoso!

Gerações e gerações desapareceram,
Mas, dos Celtas as atuais não esqueceram.
Povo heroico, inteligente e maravilhoso,
Falar a palavra “Celta” é muito gostoso!

Ensinaram as povoações Lusitanas,
Com carinho e respeito humanas,
Somos na transmissão dos corpos,
pedaços desse povo heroico e escrupulosos!

Seu Ditado era uma mensagem eterna,
Gravado como um ovo no centro da gema.
“Viveras CEM anos com mais UM para arrepender-te”
“Mas, morrerás para sempre se DEUS não conhecer-te!”

Dos Celtas somos pedaços de seu sangue
E de graças eternas não exangue.
Milhares de anos ainda irão passar
E desse povo temos o Cerne para AMAR!

 

Adriano Augusto da Costa Filho
Membro da Casa do Poeta de São Paulo, Movimento Poético Nacional, Academia Virtual Sala dos Poetas e Escritores, Academia Virtual Poética do Brasil, Ordem Nacional dos Escritores do Brasil, Associação Paulista de Imprensa, Associação Portuguesa de Poetas/Lisboa e escreve quinzenalmente para o Jornal Mundo Lusíada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto:

Send this to a friend