PORTUGAL E O “BREXIT”

Como todos sabem , o “Reino Unido” ou seja, a Inglaterra, a Escócia, a Irlanda, o País de Gales, consequentemente são partes do “Reino Unido” e bem como da “União Européia”, grupo de países da Europa, além de alguns países da África e do Canadá, unidos politicamente e financeiramente ao Reino Unido.
A “TROIKA” controla financeiramente a União Européia, com sede na Bélgica e o Reino Unido embora na União Européia não aderiu ao EURO e aceite a mesma moeda da quase totalidade dos paises da Europa e manteve a sua moeda, a Libra Esterlina.
A TROIKA, obrigou os países sob os seus poderes financeiros a diminuir a sua produção agrícola em beneficio de outros países e com isso esses países produtores entraram em grandes dificuldades.
Portugal foi obrigado a diminuir a sua produção de azeitonas, trigo e outros produtos, todavia, com a cautela eterna do povo português, o país encontrou uma forma de acautelarem-se em todos setores e dessa forma encontrou uma formula de produção e da mesma maneira a atração turística.
O Reino Unido, com um grupo de países, aconteceu que a nacionalidade desses países, que embora sejam com a mesma língua ainda não se adaptaram ao Reino Unido, mormente a Escócia e então após 15 anos de conflitos políticos e financeiros, a Inglaterra, propôs um desligamento da União Européia, e a votação nos países aprovaram essa demanda e após 2 anos de conflitos políticos houve a votação e foi aprovada a separação, com o nome explicito de BREXIT, ou seja, saída da União Européia e que está em desenvolvimento com acordos internos e externos com a União Européia.
Assim sendo, no começo da União Européia, a TROIKA enviou bilhões de Euros para todos países, com a finalidade de construção de hospitais, estradas, palácios, rodovias, trens, para mostrar uma Europa unida, todavia esse custo fabuloso após anos têm a sua devolução formatada com juros e outras comendas, o que ocasiona furos financeiros nas economias dos paises.
A Inglaterra, que tem a sua moeda forte a Libra, nunca se interessou por essa demanda e após anos de lutas resolveu sair da União Européia, mas isso tem um custo fabuloso, embora a Libra Esterlina seja muito forte e praticamente nem os Ingleses, nem os Europeus sabem o que acontecerá com essa façanha do BREXIT.
Portugal, segue a sua marcha, com a sua maravilhosa constatação sobre a União Européia, todavia a União Européia está em declínio, não só por formatações políticas, mas, também pelo orgulho nacional de alguns países.
Nós aqui no Brasil, enfrentamos esse grande problema que é o Mercosul, e a vaidade e o orgulho de determinados países atrasam os trabalhos financeiros e a melhoria das relações tanto políticas como financeiras e as ideologias políticas e sendo que alguns países como nosso Brasil, ainda estão politicamente em regimes Presidencialistas, embora todos sabemos que os regimes Parlamentaristas são sempre os melhores politicamente afim de dirigir quaisquer países.

 

Adriano Augusto da Costa Filho
Membro da Casa do Poeta de São Paulo, Movimento Poético Nacional, Academia Virtual Sala dos Poetas e Escritores, Academia Virtual Poética do Brasil, Ordem Nacional dos Escritores do Brasil, Associação Paulista de Imprensa, Associação Portuguesa de Poetas/Lisboa e escreve quinzenalmente para o Jornal Mundo Lusíada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto:

Send this to a friend