Os “CELTAS” e as povoações lusitanas milenares

Por Adriano Augusto da Costa Filho

Há 4.000 anos um povo do centro da Europa, os Celtas, povo culto, religioso e guerreiro ao mesmo tempo, e em razão do crescimento das populações, uma vez que nessa época europeia existiam grandes concentrações de povoações, como os Godos, Vizigodos, Álamos, etc; começou a faltar a alimentação, uma vez que não existia a agricultura, tanto progressiva como familiar, e os povos se alimentavam de frutas, flores, plantas, peixes, animais, aves, ovos, e tudo que pudessem absorver na alimentação.
Sempre existiam confrontos com outras populações, uma vez que também eram povos guerreiros.
Os Celtas estavam à frente de outros povos nas formas guerreiras que possuíam, uma vez que descobriram a “Liga do Ferro”, porque conseguiram extrair o ferro das rochas e obter as armas mais eficientes que os outros povos e assim para obter novas terras marcharam em direção ao Oceano Atlântico, passando montanhas como os “Pirineus” nas bordas de França e Espanha, e consequentemente entraram na Península Ibérica, e atingiram a “Lusitânia”, que era um povoado idêntico a outras populações das regiões do Norte da Península, dominando toda a região.
Os Celtas tinham uma cultura avançada, não só normal, mas também religiosa e eram imensamente compreensíveis às populações que, com isso resolveram passar a sua cultura, o que faziam com a “população lusitana”, ensinando tudo que fosse possível, como veremos num grandioso ato religioso, o qual era efetivado em cada momento de seus trabalhos religiosos, guerreiros e viajando por todos os caminhos.

—————————————
“ORAÇÃO CELTA”

Que a estrada se abra à sua frente. Que o Sol brilhe morno e suave em sua face. Que a chuva caia de mansinho em seus campos. Que um suave acalanto te acompanhe, onde estiveres.
Que as perdas do teu caminho sejam sempre encaradas como lições de vida. Que a música seja a tua companheira de momentos secretos contigo mesmo.
Que em cada passo teu fiquem marcas luminosas de tua passagem em cada coração. Que o canto da maturidade jamais asfixie a tua criança interior. Que o teu sorriso seja sempre verdadeiro.
Que em teus momentos de solidão e cansaço esteja sempre presente em teu coração a lembrança de que tudo passa e se transforma, quando a alma é grande e generosa.
Que “Deus” lhe guarde nas palmas de suas MÃOS!!!
—————————

No Norte de Portugal, mormente na região de Trás-os-Montes, ainda consegue-se ver algo desses restos Celtas, em referência à extração de minas de ferro, o que mostra também que por ali passou a cultura Celta, uma vez que, o povo trasmontano resistiu à invasão do Império Romano, que por 500 anos os romanos não conseguiram dominar a região trasmontana, e só ao fim desse período é que houve um acordo com as forças romanas.
Dai se depreende que a cultura Celta, avançou em todos os setores da Lusitania, além de transmitir a sua cultura religiosa e guerreira, os ensinamentos de sua cultura céltica acumulou na sabedoria já existente das ordas lusitanas e podemos notar que as grandes navegações feitas pelos portugueses no mundo inteiro e a criação de países, cremos que ficou enraizada na mente maravilhosa dos Lusitanos e consequentemente dois descendentes portugueses, para a Honra e Glória do nosso querido e eterno Portugal!

 

Por Adriano Augusto da Costa Filho
Membro da Casa do Poeta de São Paulo, Movimento Poético Nacional, Academia Virtual Sala dos Poetas e Escritores, Academia Virtual Poética do Brasil, Ordem Nacional dos Escritores do Brasil, Associação Paulista de Imprensa, Associação Portuguesa de Poetas/Lisboa e escreve quinzenalmente para o Jornal Mundo Lusíada.

1 Comment

  1. Grande amigo, a península ibérica nunca sofreu nenhuma invasão de celtas. Assim como a cultura megalítica, tem início na costa atlântica da península Ibérica e depois espalha se pela Europa ocidental, também a cultura Celta começa em Portugal e Galiza e depois espalha se, primeiro, pela Irlanda, Gales e depois Escócia e Bretanha. Só por volta do ano 750 ac chega a Europa central. Os povoados celtas em Portugal tem 6000 anos. Os cromeleques em Portugal são cerca de 2000 anos mais antigos que stinehenge. The Celtics legacy, documentário, YouTube. The blood ir the isles, livro, Oxford university press. Nunca fomos invadidos por celtas. Nós saímos daqui e tomamos a Europa ocidental como nossa. Mais tarde, como Portugal, fizemos o mesmo, mas a nível global. Um bem haja de cultura. [email protected]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto:

Send this to a friend