Sociedade “deve atuar no combate” ao fenômeno do racismo – Liga Portuguesa

Da Redação
Com Lusa

O presidente da Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP), Pedro Proença, disse que a sociedade portuguesa deve atuar no combate ao racismo, violência, xenofobia e intolerância.

A Liga vai lançar durante este fim de semana uma campanha com o nome ‘Não’, que decorrerá durante a 22.ª jornada das I e II ligas, numa resposta ao incidente dos insultos racistas ao futebolista do FC Porto Moussa Marega, durante o encontro entre Vitória de Guimarães e ‘dragões’ da 21.ª jornada – vitória ‘azul e branca’ por 2-1 -, em que o avançado maliano abandonou o recinto de jogo.

“A primeira mensagem que deixo é que a sociedade portuguesa deve dar uma resposta no combate ao racismo, violência, xenofobia e intolerância. A Liga está desde 2015 na primeira linha deste combate e esta campanha é mais um sinal de intolerância para com estes fenômenos”, disse Pedro Proença.

Como ação imediata, além desta campanha, Pedro Proença disse que agora “vão ser revistos todos os artigos do regulamento disciplinar da Liga e vai ser pedido um agravamento no que concerne ao combate à violência, racismo e intolerância”.

“Deste modo, pretendemos que já para o ano haja um agravamento claro, para que comportamentos destes sejam erradicados do futebol”, sublinhou.

Pedro Proença lembrou ainda que “na responsabilização penal, estes comportamentos são crime, pelo que é necessária rapidez nas decisões em casos como o de Guimarães e noutros semelhantes”, tendo salientado ainda que, apesar de a Liga querer liderar o processo, “é necessário que os poderes executivo e judicial cumpram as suas obrigações nesta matéria”.

FPF

A Federação Portuguesa de Futebol (FPF) promove uma campanha intitulada ‘Racismo Fora de Jogo’ que já é visível em todas as competições organizadas pelo organismo, nas quais decorrem ações de sensibilização com a colaboração de árbitros e futebolistas.

A campanha, que envolve igualmente a Associação Portuguesa de Árbitros (APAF) e o Sindicato de Jogadores e apela aos valores da ética e do ‘fair-play’, procurando combater a violência e a intolerância no futebol, foi lançada em jogos do Campeonato de Portugal, da I Liga de futebol feminino, da I Liga de futsal, do Campeonato Nacional de futsal feminino e da Liga Revelação.

Uma das recentes ações da FPF, que participou a par de outras federações na campanha promovida pela UEFA “Diz Não ao Racismo”, constou da exposição de um vídeo onde pais de jovens atletas são confrontados com insultos e ofensas que os seus filhos são vítimas em plena atividade desportiva.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto:

Send this to a friend