Exposição sobre jornais centenários de Brasil e Portugal chega ao Recife

Da Redação

Trechos da história de jornais centenários do Brasil e de Portugal estão expostos em 30 painéis diferentes, na Fundação Joaquim Nabuco – Fundaj/Casa Forte, em Pernambuco.

Aberta dia 18, a mostra “Jornais Centenários do Brasil e Portugal: um legado cultural” é da Associação Portuguesa de Imprensa, realizada em parceria com a Associação da Imprensa de Pernambuco (AIP) e Fundação Joaquim Nabuco (Fundaj). Em Recife, conta também com o apoio do Real Hospital Português de Pernambuco.

Na inauguração para convidados, o presidente da Associação Portuguesa de Imprensa e representantes dos 10 maiores jornais portugueses como, O Público, Jornal de Notícias, Diário do Sul e Região de Leiria foram convidados. A mostra ficará exposta até o dia 17 de novembro próximo, na Galeria Baobá, campus Casa Forte da Fundaj.

“A comunicação é imprescindível e realizar essa exposição aqui na Fundaj é reconhecer sua relevância. Esses jornais, todos seculares, são guardiões da história”, destacou o presidente da Fundaj, Antônio Campos.

Os painéis contam a história de 34 jornais centenários portugueses e 18 brasileiros, entre eles, o Diario de Pernambuco (mais antigo em circulação), Jornal do Commercio e Estadão. Entre os de Portugal, está o mais recente centenário, com poucos meses completos, O Figueirense (de Figueira da Foz, Coimbra).

Nas páginas desses jornais, o público pode encontrar mais do que fatos, o fio condutor da cultura de dois povos. Em 2018, a mesma exposição aconteceu no Parlamento Europeu, na Bélgica, e foi dedicada exclusivamente para expor os jornais de Portugal.

“Numa época de comunicação global, não podemos esquecer que um jornal é muito mais do que um conjunto de notícias, é um permanente pacto com o rigor e a ética, legando às gerações vindouras as suas raízes comuns. Por isso, essa exposição é mais um passo concreto para o reconhecimento das publicações periódicas em língua portuguesa”, afirmou o presidente da Associação Portuguesa de Imprensa, João Palmeiro.

Muitas das publicações fizeram parte de um novo tipo de jornalismo no século XIX. Todos contribuíram com informações na luta por ideais, princípios e ajudaram também a construir a história. Esta exposição representa, segundo a Fundação, uma mostra cultural e social.

“A exposição que reúne dois países e uma só língua valoriza os jornais centenários como instituições que tem como objetivo serem a memória viva dos últimos séculos. Com essa mostra, a Associação da Imprensa de Pernambuco busca levantar uma reflexão da importância da preservação dos jornais centenários como patrimônio cultural”, afirmou o presidente da Associação da Imprensa de Pernambuco, Múcio Aguiar.

Serviço:

Exposição “Jornais Centenários do Brasil e Portugal: um legado cultural”

De 18/10 até até 17/11

Local: Galeria Baobá, campus Casa Forte da Fundação Joaquim Nabuco
Avenida 17 de Agosto, 2187 Recife PE

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto:

Send this to a friend