Na ONU, Timor-Leste destaca sucesso da democracia e extinção de uso de plásticos descartáveis

Da Redação

O ministro dos Negócios Estrangeiros e Cooperação de Timor-Leste, Dionísio Babo Soares, encerrou na segunda-feira a participação dos países lusófonos na 74ª Sessão da Assembleia Geral.

Em seu discurso, o representante disse que a jovem democracia timorense “continua a afirmar-se” e contou que seu país está caminho de abolir inteiramente o uso de plásticos descartáveis.

Babo Soares lembrou que, no passado 30 de agosto, Timor-Leste comemorou o 20º aniversário do referendo sobre a independência, que foi organizado pelas Nações Unidas. O ministro destacou as prioridades do país nessas duas décadas.

“Timor-Leste é uma pequena nação determinada e em contínua construção. As várias eleições já realizadas no país confirmam a nossa evolução. Como país democrático e pacífico, continuamos empenhados na construção de um Estado de direito, na boa governação, no fortalecimento das instituições estatais, na promoção dos direitos humanos e na igualdade entre homens e mulheres e no combate à pobreza.”

Parceiros
A 27 de setembro, o país também marcou o 17º aniversário da entrada como membro de pleno direito na ONU. Segundo o ministro, o país tem “uma relação histórica com as Nações Unidas” e a organização “tem um lugar permanente e muito especial nos corações e na memória coletiva do povo de Timor-Leste.”

“Timor-Leste continua a ser exemplo do melhor que a ONU sabe fazer, resolver conflitos e manter a paz e a ordem internacional legal quando os seus Estados-membros unem esforços.”

Mudança climática
O ministro afirmou que Timor-Leste, à semelhança dos Pequenos Estados Insulares em Desenvolvimento, sente o efeito da mudança climática, incluindo nas zonas costeiras, na redução das colheitas e na destruição causada por desastres naturais.

“Precisamos salvar o nosso planeta dos efeitos das alterações climáticas e do aquecimento global. Infelizmente, até à data, não alteramos o nosso comportamento de uma forma significativa e capaz de evitar as alterações climáticas no nosso planeta. Contudo, se conjugarmos forças, acreditamos que nos poucos anos que nos restam ainda é possível assegurar que a terra registe um aquecimento médio de não mais do que 0.5º C.”

O chefe da diplomacia timorense mencionou depois os esforços do país nessa área. Segundo ele, Timor-Leste já adotou uma política para acabar com uso de plástico descartável e irá construir uma fábrica de reciclagem que irá permitir que o país se torne neutro no uso de plásticos que contaminam o ambiente.

Cooperação
O ministro também destacou a cooperação com a Comunidade dos Países de Língua Portuguesa, Cplp, dizendo que mantem “relações privilegiadas” com todos os países-membros e desejando que “a língua portuguesa seja a próxima língua oficial das Nações Unidas.”

Babo Soares disse ainda que Timor-Leste “continua a ter fortes laços de cooperação com Indonésia e Austrália” e deu o exemplo do tratado sobre as fronteiras marítimas assinado com o país da Oceania em 2018.

O ministro mencionou depois os cinco grandes eventos que aconteceram na semana passada, destacando o Encontro de Cúpula dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável. Ele lembrou que a comunidade internacional tem apenas 10 anos para alcançar essas metas e afirmou que a erradicação da pobreza deve ser o principal objetivo.

Sobre a paz e segurança internacional, ele pediu mais esforços da comunidade internacional para resolver a situação nos Territórios Palestinos, Saara Ocidental, Síria e Península Coreana.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto:

Send this to a friend