Quinta, 23 de Março de 2017 Mundo Lusiada no Facebook Mundo Lusiada no Twitter Mundo Lusiada no YouTube

Estratégia lançada em Portugal quer duplicar receitas em 10 anos com um turismo de mais qualidade

Por | 16 março, 2017 as 4:05 pm | Nenhum comentário

Mundo Lusíada
Com agencias

Turismo_AlbufeiraAlgarveA Estratégia Turismo 2027 tem como um dos objetivos duplicar, em dez anos, as receitas turísticas, passando dos 12,7 mil milhões de euros registrados em 2016 para 26 mil milhões de euros, e aumentar o número de dormidas de 53,5 milhões em 2016 para 80 milhões.
A Secretária de Estado do Turismo, Ana Mendes Godinho, explicou que o lançamento desta estratégia decorre da necessidade de liderar nas várias áreas, de antecipar o próximo quadro comunitário, e de evitar decisões erráticas. A estratégia foi apresentada na Bolsa de Turismo de Lisboa, com a presença do Ministro da Economia, Manuel Caldeira Cabral, e da Secretária de Estado do Turismo, Ana Mendes Godinho, pelo presidente do Turismo de Portugal, Luís Araújo.
A ET27 tem ainda como meta reduzir o índice de sazonalidade, que gera grande instabilidade de emprego, aumentar as habilitações dos profissionais do turismo, duplicando o nível de qualificações do ensino secundário e pós-secundário (de 30% para 60%), e assegurar que o turismo gera um impacto positivo nos territórios em que a atividade turística acontece.
Na ET estão também incluídos objetivos ambientais, nomeadamente assegurar que mais de 90% das empresas do turismo adotam medidas de utilização eficiente de energia e da água e desenvolvem ações de gestão ambiental dos resíduos. A estratégia organiza-se em cinco eixos: valorizar o território, impulsionar a economia, potenciar o conhecimento, gerar redes e conectividade e projetar Portugal.

Fenômeno Sustentável
Para o Ministro da Economia, Manuel Caldeira Cabral, estratégia é um “rumo que pode ser afinando e melhorando e definido pelo próprio setor”, recordando que os números do crescimento do turismo mostram “um fenômeno sustentável”.
O presidente do Turismo de Portugal, Luís Araújo, referiu que a autenticidade do País é fundamental para captar turistas, trabalhadores ou estudantes.
Os números do crescimento das dormidas turísticas “são números fantásticos, que mostram que o crescimento do Turismo continua a ser muito forte, abrem perspetivas muito interessantes para 2017″, afirmou Manuel Caldeira Cabral numa declaração à agência Lusa em Lisboa.
O Ministro acrescentou que depois do «recorde de 2016, com 19 milhões de turistas», se assistiu em janeiro a um novo crescimento de dois dígitos, com as dormidas a aumentarem quase 13%, com as dormidas de estrangeiros a aumentarem 17,6% e com os proveitos de hotelaria a continuarem a crescer acima do número de visitantes: 18%.
Referindo que os mercados tradicionais cresceram bem, o Ministro destacou que “houve um crescimento muito forte quer do Brasil, quer dos Estados Unidos”, na sequência do investimento na diversificação de mercados.
“Há espaço para o crescimento do Turismo para todo o País, e é isso que queremos: é que os turistas que já visitam Lisboa, o Porto e o Algarve possam visitar também outras partes do território, descobrir outros aspetos em Portugal, o que já estão a fazer hoje e é isso que também dá mais sustentabilidade a este crescimento no Turismo”.

Para 2017: Concorrências
Caldeira Cabral disse que depois do recorde de 2016, com 19 milhões de turistas, os dados “abrem perspectivas muito interessantes para 2017″. Janeiro voltou a um novo crescimento de “dois dígitos, com as dormidas a aumentarem quase 13%, dormidas de estrangeiros a aumentarem 17,6% e com os proveitos de hotelaria a continuarem a crescer acima do número de visitantes: 18%.
“São números fantásticos, que mostram que o crescimento do Turismo continua a ser muito forte, abrem perspetivas muito interessantes para 2017″, comentou o governante à agência Lusa, notando estar a formar-se um padrão nas estatísticas de “um crescimento muito forte do Turismo na época baixa, baseado em novos mercados”.
Manuel Caldeira também afirmou que o alojamento local e a hotelaria podem crescer em paralelo, uma vez que estão reunidas as condições de concorrência leal entre as duas atividades do setor do turismo. “O crescimento do alojamento local em paralelo com o crescimento de 17% dos proveitos de hotelaria mostra claramente que há espaço para todos, mostra claramente que há condições de concorrência”.
Manuel Caldeira Cabral afirmou que em 2016 13 mil novos alojamentos locais foram legalizados, o que representou um aumento de 50% face a todos os que existiam desde 2018 até 2015. “Uma grande parte era alojamento que já existia e que entrou para o sistema”, continuou, referindo o esforço que o Governo tem feito para trazer todos os alojamentos para o enquadramento legal.
O Ministro lembrou que a atividade do alojamento local começou por ser uma oferta mal definida mas que hoje já concorre no preço e na diferenciação. “Estamos a valorizar o turismo em Portugal e estamos a caminhar para um turismo com mais qualidade. É parte do sucesso na aceleração do crescimento que tivemos. É parte da competitividade com que a economia portuguesa se afirma hoje mundialmente”, concluiu.



+ Acessadas



 

Deixe uma resposta

 
 
© 2011 Jornal Mundo Lusíada - RVR PROMOÇÕES E PUBLICIDADE LTDA. Todos os direitos reservados.
Assine - Fale Conosco - Publicidade