Portugal recebe prêmio de Melhor Destino Sustentável da Europa

Da Redação
Com Lusa

Na quinta-feira, Portugal recebeu, pela primeira vez, o prêmio de Melhor Destino Sustentável da Europa, uma distinção anunciada durante a ITB Berlim, a principal feira internacional de turismo.

“É mais um atrativo e mais um cartão de visita para promover Portugal num mercado que valoriza tanto os destinos sustentáveis. É fantástico em termos de notoriedade internacional”, revelou Ana Mendes Godinho, Secretária de estado do Turismo, em declarações à agência Lusa.

“Foi uma surpresa, tinham-nos indicado que estaríamos na lista de finalistas, mas foi uma boa surpresa ver o reconhecimento do trabalho e da estratégia do turismo 2027”, sublinhou.

O prêmio resulta de uma candidatura feita por Portugal, e nos 2.º e 3.º lugares ficaram Bled, uma região da Eslovênia, e Mali Losinj, na Croácia.

A feira ITB Berlim termina no domingo. A presença portuguesa conta com as sete regiões das áreas promocionais turísticas portuguesas: Porto e Norte de Portugal, Centro de Portugal, ATL – Associação Turismo de Lisboa, Alentejo, Madeira e Açores e 92 empresas distribuídas por 870 m2.

Uso sustentável do mar

Também o Governo dos Açores declarou ter a “ambição” de tornar a região uma “referência no uso sustentável do mar”, contando agora com a colaboração de uma “uma rede internacional de parceiros” para “melhorar a conservação marinha”.

Em nota enviada à imprensa pelo gabinete do secretário regional do Mar, Ciência e Tecnologia, que se encontra nos Emirados Árabes Unidos na Cimeira Mundial dos Oceanos, é referido que a rede de parceiros, chamada “Blue Prosperity Coalition”, foi apresentada durante o evento e associou-se ao executivo açoriano na “ambição de alargar as áreas marinhas protegidas” da região.

A “Blue Prosperity Coalition”, diz o secretário regional, Gui Menezes, vai contribuir para o desenvolvimento da economia azul na região e para o uso sustentável do mar açoriano, na medida em que esta organização poderá financiar, por exemplo, projetos ligados à biotecnologia marinha, mas também ações de promoção da literacia dos oceanos.

“Estas parcerias são muito importantes para termos uma economia cada vez mais sustentável” e podem contribuir para os Açores “manterem uma imagem de sustentabilidade”, prosseguiu o governante.

Gui Menezes advoga que os Açores têm “boa ciência, boa governação e um setor pesqueiro bem estruturado”, salientando que existem condições para serem “bem-sucedidos” e para darem “um sinal ao mundo de que são uma região que quer fazer diferente” no que diz respeito a áreas como a sobrepesca, a pesca ilegal e o lixo marinho, nomeadamente a poluição causada pelos plásticos.

“A ambição deste Governo [Regional] é que, daqui a uns anos, sejamos uma região de referência no uso sustentável do mar, e que isso possa servir de exemplo a outras regiões e países”, sublinhou o titular da pasta do Mar do Governo dos Açores.

1 Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto:

Send this to a friend