Covid-19: Número de mortes sobe para 23 em Portugal

Da Redação
Com Lusa

Portugal tem 23 mortes associadas ao vírus da Covid-19 confirmadas, mais nove do que no domingo, e 2.060 pessoas infectadas, segundo o boletim desta segunda-feira da Direção-Geral da Saúde (DGS).

Estão confirmadas nove mortes na região Norte, cinco na região Centro, oito na região de Lisboa e Vale do Tejo e uma no Algarve, revela o boletim epidemiológico, com dados referentes até às 24:00 de domingo.

Das 2.060 pessoas infetadas pelo novo coronavírus (SARS-CoV-2), a grande maioria (1.859) está a recuperar em casa, 201 estão internadas, 47 dos quais em Unidades de Cuidados Intensivos.

De acordo com o relatório da situação epidemiológica em Portugal, existem 11.842 contactos em vigilância pelas autoridades de saúde (menos 720).

A região Norte continua a registar o maior número de infeções, totalizando 1.007, seguida da região de Lisboa e Vale do Tejo (737), da região Centro (238), do Algarve (42) e do Alentejo (cinco casos).

Há nove casos na Madeira e 11 nos Açores. O boletim dá ainda conta de 11 casos de estrangeiros.

Os dados da DGS indicam que há 44 casos resultam da importação do vírus de Espanha, 26 de França, 20 de Itália, 11 da Suíça, 11 do Reino Unido, seis dos Países Baixos, cinco do Brasil, quatro da Áustria, três dos Emirados Árabes Unidos, três da Índia, dois da Alemanha, dois de Andorra, um da Bélgica, um da Alemanha e Áustria, um do Irã, um do Egito e outro da Dinamarca.

Segundo a DGS, só existe informação sobre sintomas em 46% dos casos confirmados. Nesses casos, 72% têm tosse, 60% dos doentes apresentam febre, 42% dores musculares, 34% cefaleias, 28% fraqueza generalizada e 23% dificuldade respiratória.

O Estado português vai comprar à China equipamentos de proteção para a epidemia de covid-19 e esta semana chegarão quatro milhões de máscaras, segundo o secretário de Estado da Saúde, António Sales.

“Teremos mais dois milhões de máscaras cirúrgicas e dois milhões de máscaras FP2 e [ainda] mais cerca de 50 mil zaragatoas”, material que será distribuído tendo em conta as necessidades, nomeadamente aos profissionais de saúde que estão a tratar de doentes covid-19, disse o governante, que falava na conferência de imprensa diária da Direção-Geral da Saúde, em Lisboa.

Desobediência

Portugal vive em Estado de Emergência, e a GNR já deteve oito pessoas, três das quais pelo crime de desobediência e duas por ofensas à integridade física, desde a sua entrada em vigor em todo o país.

Em comunicado, a Guarda Nacional Republicana refere que está a realizar uma operação que visa o controle, fiscalização e vigilância das medidas impostas pelo estado de emergência devido à pandemia de covid-19, que entrou em vigor às 00:00 de domingo, tendo registrado detido oito pessoas até às 08:00 deste dia 23.

A GNR avança que uma mulher de 53 anos foi detida no concelho de Ovar pelo crime de desobediência por ter passado a cerca sanitária, tendo sido notificada para ser presente no Tribunal Judicial de Ovar.

No comando territorial do Porto, foi detida em flagrante delito uma mulher de 40 anos pelo crime de desobediência ao cumprimento do período de isolamento profilático covid-19, no concelho de Vila Nova de Gaia.

Segundo a GNR, esta mulher, sem antecedentes criminais, foi constituída arguida e sujeita a termo de identidade e residência (TIR) com obrigação de permanência no domicílio.

No distrito de Faro, dois homens de 21 anos foram detidos, em Lagoa, pelo crime de ofensa à integridade física qualificada, uma vez que estavam em violação do dever geral de recolhimento imposto pelo estado de emergência em curso.

Estes dois homens foram acusados e sujeitos a termo de identidade e residência.

Em Leiria, a GNR deteve um homem de 44 anos pelo crime de desobediência no concelho de Marinha Grande, tendo sido constituído arguido e sujeito a TIR.

Esta corporação deteve também dois homens, de 29 e 38 anos, na freguesia de Fernão Ferro, distrito de Setúbal, um pelo crime de condução sob a influência do álcool e outro por posse de arma ilegal, uma vez que se encontravam em violação do dever geral de recolhimento imposto pelo estado de emergência em curso.

Os detidos foram constituídos arguidos e sujeitos a termo de identidade e residência.

No distrito de Viseu, a GNR deteve um homem de 49 anos no concelho de Cinfães por resistência e coação sobre funcionário que também estava a violar o dever geral de recolhimento imposto pelo estado de emergência.

No comunicado, a GNR recorda que as medidas de contenção e isolamento podem salvar vidas, sendo o seu objetivo atrasar o mais possível a propagação do vírus, mantendo os hospitais com capacidade de resposta.

A Guarda Nacional Republicana apela para a consciência cívica dos cidadãos para permanecer em recolhimento no seu domicílio.

As medidas impostas pelo estado de emergência estão a ser fiscalizadas pelas forças e serviços de segurança.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infectou mais de 324 mil pessoas em todo o mundo, das quais mais de 14.300 morreram.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto:

Send this to a friend