Portugal no clima das Festas dos Santos Populares de Lisboa

Mundo Lusíada
Com Lusa

Já começou a programação das Festas de Lisboa, que segue até 30 de junho, destacando como momento alto o dia 12 de junho, com os casamentos de Santo António, que se estende pela madrugada de 13 de junho – Dia de Santo António e feriado municipal de Lisboa -, com as marchas populares e os arraiais, por se tratar de “iniciativas mais emblemáticas e distintivas da cidade”.

As Festas de Lisboa’19 vão proporcionar “um mês de propostas artísticas inovadoras, ao ar livre e de entrada gratuita”, associando os festejos de Santo António a uma homenagem ao navegador Fernão de Magalhães e ao compositor António Variações.

“Inspirados numa combinação improvável – Santo António, Fernão de Magalhães e António Variações – partimos numa viagem em que Lisboa é o ponto de partida e chegada”, anunciou a EGEAC- Empresa de Gestão de Equipamentos e Animação Cultural.

De acordo com a presidente da EGEAC, Joana Gomes Cardoso, este ano, as Festas de Lisboa têm como mote os 500 anos da circum-navegação de Fernão de Magalhães, assim como uma homenagem ao cantor e compositor português António Variações, que faria 75 anos.

Além da tradição dos arraiais, marchas, tronos e casamentos de Santo António, a programação deste ano destaca a iniciativa Fado no Castelo, que vai reunir “duas grandes vozes com dois coros singulares: Ana Moura e Sopa de Pedra, no dia 14 de junho, e Raquel Tavares e Gospel Collective, no dia 15 de junho”, o festival Com’Paço, que a partir de 22 de junho volta a contar com a participação de bandas filarmônicas oriundas de todo o país, o festival Lisboa Mistura, que se muda para a Quinta das Conchas, e as Festas da Diversidade e do Japão em Lisboa, que continuam a celebrar a diversidade cultural da cidade.

O encerramento das Festas de Lisboa’19 vai proporcionar “um concerto irrepetível, construído de propósito para esta ocasião, dedicado a António Variações que faria 75 anos”, que vai decorrer no dia 29 de junho, a partir das 22:00, no Jardim da Torre de Belém, em que as músicas do compositor português vão ser cantadas por Ana Bacalhau, Conan Osiris, Lena D’Água, Manuela Azevedo, Paulo Bragança e Selma Uamusse, com a Orquestra Metropolitana de Lisboa e arranjos sinfônicos a cargo de Filipe Melo, Filipe Raposo e Pedro Moreira.

Normas e horários
A EGEAC, responsável pelas Festas de Lisboa, apelou ainda ao cumprimento de horários e de todas as normas de segurança, ruído, higiene e sustentabilidade, para salvaguardar o respeito pelos moradores.

Segundo a presidente da EGEAC, Joana Gomes Cardoso, relativo à higiene e sustentabilidade, as Festas de Lisboa começaram, em 2018, a apostar na utilização de copos reutilizáveis, incentivando à reciclagem dos copos tradicionais, medida que pretende tornar as festividades mais amigas do ambiente.

Desde a edição de 2017 das Festas de Lisboa, a Junta de Freguesia de Santa Maria Maior decidiu aplicar restrições ao ruído e implementar um sistema de som comum para as bancas de venda nos arraiais dos bairros históricos como Alfama e Mouraria.

Segundo o presidente da Junta de Freguesia de Santa Maria Maior, Miguel Coelho, as restrições ao ruído visam resolver o “caos” que se tem verificado em anos anteriores nos arraiais populares, devido à existência de sons autônomos por retiro ou banca de venda.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto:

Send this to a friend