Goiás entrega registro das Cavalhadas a Patrimônio Cultural do Brasil

Da Redação

Nesta semana, o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) recebeu das mãos de prefeitos goianos e do governador do Estado de Goiás o pedido do Registro das Cavalhadas a Patrimônio Cultural do Brasil.

A cerimônia em Brasília contou com a presença de autoridades locais, de dirigentes do Iphan, como a presidente, Kátia Bogéa, o diretor do Departamento de Patrimônio Imaterial, Hermano Queiroz, e a superintendente do Iphan-GO, Salma Sadi, além da coordenadora de Cultura da Unesco, Isabel de Paula.

Durante a entrega, o governador de Goiás ressaltou a importância das atividades do Iphan desenvolvidas Estado, sendo o primeiro a concluir todas as obras do PAC-Cidades históricas, e demonstrou sua expectativa de que a tramitação do processo de registro das cavalhadas tenha um desfecho favorável. “Nessa hora nós vamos fazer um grande evento em Goiás porque isso aumenta ainda mais as credenciais do nosso Estado perante o turismo a partir do reconhecimento do Iphan a esta tradição que possui uma beleza impar”, concluiu Ronaldo Caiado.

Para a superintendente Salma Saddi, a ação representa “a valorização de uma tradição bicentenária que reúne fé, cultura e turismo, que busca ser reconhecida como Patrimônio Cultural do Brasil. É um momento de muita alegria”, destacou.

Assistindo a tudo na plateia estava o seu Iedo Lobo, que já foi rei da Cavalhada de Santa Cruz por 36 anos. “O que o Iphan fará pelas Cavalhadas de Goiás, caso a titulação aconteça, é de suma importância para reforçar o apoio a nossa manifestação cultural”, disse. Também destacando a relevância da prática ser reconhecida pelo Iphan, o secretário especial de cultura, Henrique Medeiros Pires, disse ser inegável a importância da preservação desse patrimônio cultural cultivado pelas comunidades goianas.Pedido de Registro das Cavalhadas de Goiás

Cavalhadas
As cavalhadas são celebrações que encenam batalhas medievais entre mouros e cristãos, quando o exército muçulmano, depois de conquistar Portugal e Espanha, resolve invadir a França.

A festa une religiosidade, fé, cultura, turismo e valorização de tradições que misturam elementos sagrados e símbolos pagãos atraindo milhares de turistas às cidades, que movimentam a economia local, mobilizando os moradores e visitantes a reviverem toda a história.

As Cavalhadas são para muitos, o maior espetáculo da celebração e reúnem o maior público de todos os eventos que a compõem. Para a comunidade local e para os cavaleiros representam também um ato de devoção e renovação da fé. A cavalhadinha complementa a festa, sendo realizada essencialmente por crianças. É a reprodução mirim dos festejos e o momento máximo de socialização e transmissão, para uma nova geração, dos valores culturais.

Após o registro ser recebido pelo Iphan, a documentação passa por uma análise da equipe técnica do órgão, que avalia se cumpre os requisitos necessários. Em seguida, o processo é encaminhado para a análise da Câmara do Patrimônio Imaterial, que delibera pela pertinência ou não da solicitação.

Uma vez considerada a solicitação pertinente, o processo é instruído com documentação e informações sobre o bem cultural, oriundas de extensa pesquisa. O dossiê elaborado será posteriormente apreciado pelo Conselho Consultivo do Patrimônio Cultural, que delibera se o bem pode ser reconhecido nos termos da política federal. Nessa instância, o bem ganha o título de Patrimônio Cultural do Brasil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto:

Send this to a friend