Congresso dos 150 anos do Grêmio Português destaca uma das mais importantes bibliotecas do Brasil

Da Redação

Aconteceu na última semana, em Belém do Pará, o Congresso dos 150 anos do Grêmio Literário e Recreativo Português, promovido em parceria com a Universidade Federal do Pará (UFPA), com debates acadêmicos sobre a relação Brasil-Portugal na área das Letras. Estiveram presentes a abertura representantes da diretoria do Grêmio, da Administração Superior da UFPA, do Consulado de Portugal em Belém, bem como professores e alunos da graduação e da pós-graduação da Universidade.

O evento celebra, ainda, a mais antiga biblioteca associativa da cidade, que possui em seu acervo 40 mil volumes, dos quais 70% são de obras raras, além de periódicos e manuscritos. “Precisamos dar mais visibilidade à nossa biblioteca para que o público conheça o rico acervo que existe aqui. O apoio da Universidade tem sido fundamental, com a sua experiência acadêmica na realização de eventos como este”, disse o presidente do Grêmio Literário e Recreativo Português, Alírio Gonçalves.

Segundo a professora da UFPA, Germana Sales, que compõe a comissão organizadora do Congresso, o Grêmio abriga em sua sede social uma das mais importantes bibliotecas do país, sendo fonte para diversas pesquisas acadêmicas, sobretudo nas áreas de Letras e História. “Em Belém, os portugueses foram empreendedores, formaram empresas comerciais, estabelecimentos de vendas de livros, criaram jornais, mas a maior herança deixada está materializada na biblioteca Franco Pacheco. Tal preciosidade justifica a homenagem que realizamos durante esta semana, com a concretização deste evento, que mobilizou, para a sua preparação e realização, a cooperação de muitas pessoas merecedoras dos nossos agradecimentos”.

Para o Reitor da UFPA, Emmanuel Tourinho, a comemoração dos 150 anos do Grêmio ocorre, sobretudo, em razão da herança cultural recebida pelo estado do Pará e da interação cada vez mais forte entre pesquisadores portugueses e luso-brasileiros. “A história do Grêmio é também uma boa parte da história do nosso estado, na promoção das artes e da cultura. A biblioteca do Grêmio é extraordinária, detém muitas obras históricas de grande interesse para os estudiosos das Letras na Amazônia. Fico feliz que o Programa de Pós-Graduação em Letras da UFPA tenha tido a iniciativa de promover este evento, que é uma homenagem a esta Instituição e ao papel que desempenha no desenvolvimento cultural no nosso estado”, ressaltou.

Tourinho completou, ainda, falando das novas parcerias que surgem com instituições de ensino e pesquisa portuguesas, como a recente Cátedra “João Lúcio de Azevedo”, criada a partir da assinatura de um protocolo de cooperação entre a UFPA e o Instituto Camões. “Nós esperamos para os próximos anos intensificar esse trabalho conjunto de pesquisadores da UFPA e de pesquisadores portugueses. Nós temos hoje um ambiente que é muito favorável ao estabelecimento de novos laços de cooperação, seja porque as nossas universidades estão sendo estimuladas a buscar a internacionalização, seja porque as universidades portuguesas hoje estão mais abertas e interessadas nessa interação com os grupos brasileiros. Nesse sentido, tenho certeza que conseguiremos muitos avanços”.

Para o Vice-Cônsul de Portugal em Belém, Francisco Brandão, o Pará é um eixo de referência no relacionamento com Portugal. “A UFPA tem um papel importante nesse processo, assim como o Grêmio Literário e Recreativo Português, que transcende as suas portas com sua força cultural aqui. São Instituições parceiras do Consulado que, por meio do associativismo e da boa vontade, possibilitam-nos construir essa boa relação”, afirmou.

Programação – As relações de cooperação entre Brasil e Portugal na esfera das Letras foram o foco da programação no Campus da UFPA em Belém. Foram realizadas conferências, mesas-plenárias e sessões coordenadas de comunicação para discutir questões relativas aos estudos literários entre os dois países, incluindo temas como a presença dos romances portugueses em gabinetes de leitura, literatura, cultura e imprensa oitocentista.

Entre os palestrantes convidados destacam-se o professor Carlos Reis (Universidade de Coimbra), a professora Vânia Chaves (Universidade de Lisboa), a professora Gilda Santos (Gabinete Real Português de Leitura), a professora Elza Miné (UFPA), entre outros. O evento faz parte das comemorações dos 150 anos de fundação do Grêmio, com uma extensa programação promovida ao longo do ano.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Send this to a friend