Aberta exposição sobre 200 Anos da Medicina Brasil-Portugal

Da Redação Mundo Lusíada

Foto: Divulgação/Acervo Museu Histórico Nacional

>> Botica portátil, em madeira, final do século XIX – Uma espécie de "estojo de pronto socorro" da época, compreendendo frascos, instrumentos, medicamentos e livreto de instruções que detalhava a forma e o preparo dos remédios e suas indicações terapêuticas. Peça coletada na Fazenda Cachoeira, em São João da Boa Vista, interior de São Paulo.

No âmbito das comemorações dos 200 anos da chegada da Corte portuguesa ao Brasil, acontece uma exposição no Museu Histórico Nacional, no Rio de Janeiro, de 8 de julho a 7 de setembro, trazendo a trajetória da saúde e da medicina no Brasil e em Portugal nos últimos duzentos anos.

A exposição marca também a realização do Simpósio “Brasil/Portugal-200 Anos”, iniciativa dos Ministérios da Saúde do Brasil e de Portugal, da Fundação Oswaldo Cruz, do Alto Comissariado de Saúde de Portugal e das Academias de Medicina do Brasil e de Portugal, que conta com a presença da ministra portuguesa da saúde.

A exposição aborda desde as práticas de cura, de origem indígena, africana ou portuguesa, no Brasil Colônia, passando pela adoção de novas orientações e medidas de fiscalização das artes de curar e pela criação das primeiras instituições de ensino médico, com a chegada da Corte portuguesa ao Brasil, até a institucionalização da saúde pública ao longo século XIX. Em quatro módulos, a mostra reúne objetos e instrumentos trazidos pelos europeus, assim como as práticas de cura, muitas com forte conotação religiosa, evidenciando as relações entre estas práticas com o conhecimento médico trazido pelos portugueses.

Aborda também a criação das duas primeiras instituições de ensino médico, tendo em vista a necessidade de formação de profissionais para serviços de saúde. A cidade do Rio de Janeiro havia se transformado em centro administrativo do Império, e neste sentido foram implementadas importantes medidas administrativas, econômicas e culturais, de impacto sobre a saúde e medicina no país. A saúde pública da época e a medicina contemporânea também são apresentadas nos dois últimos módulos, com grandes revoluções do conhecimento médico: diagnóstico, tecnologias de ponta e medicamentos a serviço da qualidade e do aumento da expectativa de vida. Através de diversos recursos cenográficos e de multimídia, o público terá acesso à evolução dos serviços e das práticas médicas no Brasil e em Portugal.

A curadoria é de Helena Severo e realização da Cultura & Arte, com patrocínio da Academia Nacional de Medicina, Eletrobrás, Fundação de Amparo à Pesquisa do Rio de Janeiro/Faperj, Fundação Oswaldo Cruz/Fiocruz, Grupo GlaxoSmithKline e Interfarma/Associação da Indústria de Pesquisa, com o suporte educacional do Instituto Sangari e apoio do Museu Histórico Nacional e Rio Scenarium.

Colônia Até o início do século XIX cabia aos Comissários do Físico Mor e do Cirurgião Mor a fiscalização e implantação das medidas de defesa da saúde nas colônias portuguesas, inclusive no Brasil. Barbeiros, cirurgiões barbeiros, parteiros e outros, eram licenciados pelo Cirurgião-Mor do Reino, e sua atuação estava restrita à realização de sangrias, aplicação de ventosas e à cura de feridas e de fraturas. A administração de remédios internos era privilegio dos médicos formados em Coimbra, e as orientações em relação à saúde pública seguiam as orientações da metrópole portuguesa com relação à inspeção de boticas e fiscalização de hospitais.

Apenas em 1808, quando o príncipe regente D.João criou os dois primeiros estabelecimentos de ensino médico no Brasil a situação começa a mudar: a Escola de Cirurgia da Bahia, em Salvador (deu origem à atual Faculdade de Medicina da Universidade Federal da Bahia), e a Escola Anatômica, Cirúrgica e Médica do Rio de Janeiro (atual Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio de Janeiro).

Exposição "Saúde e Medicina no Brasil e Portugal – 200 Anos" Museu Histórico Nacional De 3º a 6º feira, das 10h às 17h30 – Sábados, Domingos e Feriados – das 14h às 18h Praça Marechal Âncora – Próximo à Praça XV 20021-200 – Centro – Rio de Janeiro Info (0xx21) 25509220 / 25509224 – www.museuhistoriconacional.com.br Ingresso: R$ 6,00

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Send this to a friend