A língua de Camões é destaque na Casa de Portugal

Professor Pasquale e professora Clotilde receberam homenagem na noite de 10 de Junho

Na noite de comemoração do Dia de Portugal, das Comunidades Portuguesas e de Camões, a Casa de Portugal de São Paulo homenageou duas figuras importantes da língua portuguesa no Brasil, o professor Pasquale Cipro Neto e a professora Clotilde Rezende, tida como a mais antiga professora de língua portuguesa com registro no país.

Ao Mundo Lusíada, o presidente da casa Antonio dos Ramos afirmou que nada mais justo do que valorizar a língua portuguesa no Dia de Camões. “As homenagens são bem apropriadas para o dia”, comentou. Os homenageados, o jornalista e professor Pasquale Cipro Neto e D. Clotilde Iemini de Rezende Brasil, que leciona há mais de 70 anos, receberam a Comenda Infante D. Henrique, além da publicação “Os Lusíadas”, de Luís Vaz de Camões.

Pela primeira vez presente na Casa de Portugal de São Paulo, o professor Pasquale se mostrou lisonjeado com a homenagem no Dia de Portugal. “Fiquei muito feliz com o convite da Casa de Portugal, com uma homenagem num dia tão especial para nós luso-falantes, nós que somos da comunidade lusófona no mundo”, disse Pasquale ao Mundo Lusíada.

O doutor do “bom português”, agradeceu o reconhecimento vindo dos portugueses. “Em Portugal as pessoas costumam dizer que nós não falamos português, nós falamos a veemente brasileira do português, mas claro que falamos todos a mesma língua, apenas com cores e tons diferentes, a língua é a mesma”. O professor mais famoso do Brasil começou a dar aula em 1975. Atualmente é colunista de vários jornais e consultor de língua portuguesa do Departamento de Jornalismo da Globo, em São Paulo.

Raquel Pessoa foi atração musical Para uma data especial nada como uma atração musical especial com a brasileira Raquel Pessoa cantando no palco da Casa de Portugal de São Paulo. Ao Mundo Lusíada a artista disse que é motivo de "orgulho ser convidada pela Casa de Portugal, por Antonio dos Ramos, para estar fazendo este show que é muito importante para mim”. A cantora cantou em mirandês na primeira parte e na segunda parte, em português.

“Essas canções são frutos de uma pesquisa de cinco anos que eu tenho feito na península ibérica, não só em Portugal como em Espanha, principalmente na Galícia que tem uma proximidade cultural muito grande com Portugal. O que me faz ter orgulho dessa pesquisa é o idioma em si, a língua de Camões é definitivamente uma das línguas mais belas do mundo”.

Matéria na íntegra no Mundo Lusíada

1 Comment

  1. Meu nome é César Augusto de Almeida Marques. Sou professor de Inglês. Fui aluno de dona Clotilde. Acho muito justa a homenagem à velha mestra. Ninguém mais que ela é tão Brasil, tão Língua Portuguesa, tão carinho com o idioma lusitano, tão mestra da língua mãe. Ela foi professora de verdade, cuidou com afetividade daquilo que é base para a cultura brasileira. Neste quão singelo texto foi feita justiça à língua de Camões! Glória a Deus!!! Agradeço à grande iniciativa desta homenagem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto:

Send this to a friend