Senador brasileiro aconselha empresários a investir em Angola

Da Redação

José Cruz – abr.2008/ABr

>> O senador Marconi Perillo (PSDB-GO), presidente da Comissão de Serviços de Infra-Estrutura, em Brasília.

Os Parlamentares brasileiros, integrantes de uma delegação que esteve recentemente em Luanda, no quadro de um périplo por seis países africanos, aconselharam empresários a investirem em Angola.

Para o presidente da Comissão de Serviços de Infra-Estrutura (CI), senador Marconi Perillo (PSDB-GO), os empresários precisam aproveitar as oportunidades de investimentos em Angola. "Se os empresários brasileiros quiserem aproveitar as oportunidades que estão surgindo em todas as áreas, precisam ir logo, senão daqui a pouco não vai sobrar nada. Ainda há muito espaço para que os empresários brasileiros desenvolvam suas atividades em Angola", ressaltou o senador.

Marconi Perillo afirmou que sua impressão final sobre os países por ele visitados (Angola, Cabo Cabo Verde, Senegal, Guiné-Bissau, Nigéria, São Tomé e Príncipe) superou suas expectativas. Ele esperava encontrar um continente estagnado economicamente, mas disse que encontrou países em processo de crescimento e de melhoria nas condições de infra-estrutura oferecidas à população. Entre esses países, destaca-se Angola.

Cooperativas brasileiras Durante o mês de maio, o Instituto de Desenvolvimento Agrário (IDA) e a Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB) assinaram em Luanda, um protocolo de cooperação no domínio do cooperativismo.

O documento, assinado em 23 de maio, prevê o apoio da OCB na organização comunitária (criação de associações de camponeses e cooperativas) e formação de líderes/gestores de cooperativas. No evento, o diretor-geral do IDA, Marcos Nhunga, disse que a parceria entre a instituição e a OCB destina-se à obtenção de experiência brasileira na gestão de cooperativas e nos programas de educação cooperativista, visando o aumento da produção e da produtividade.

Aumento de ligações aéreas Outro setor promissor na relação bilateral é o aumento do número de ligações aéreas entre Angola e o Brasil e as facilidades na atribuição de vistos de trabalho.

Estas foram algumas das questões abordadas em encontro entre o primeiro vice-presidente da Assembléia Nacional, João Lourenço, e uma delegação do senado brasileiro chefiada por Heráclito Fortes. Atualmente, a TAAG (Transportadora Aérea Angolana) voa 3 vezes por semana para o Brasil, havendo em alguns casos mais um vôo extra. Portugal Digital

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Send this to a friend