Moçambique quer mais comércio digital para impulsionar crescimento econômico

Da Redação

Até essa sexta-feira, em Nairobi, no Quênia, acontece a Semana Africana de Comércio Eletrônico, sob o tema “Empoderando as Economias Africanas na Era Digital”, evento que pretende examinar formas de melhorar a capacidade dos países africanos em desenvolverem e beneficiarem do comércio eletrônico e da economia digital.

Moçambique é um dos países participantes no encontro, promovido pela Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento, Unctad, em conjunto com a União Africana e a União Europeia.

Segundo a jurista do Ministério da Economia e Finanças de Moçambique, Sílvia Mulhovo, a iniciativa tem grande importância.

“Esta conferência para mim foi muito importante porque foi primeira vez na história que os países africanos se reuniram, todos juntos aqui em Nairobi, a convite do governo queniano, para discutirmos a questão do comércio eletrônico e da economia digital.”

A representante lembra que Moçambique é um país que tem uma economia baseada na agricultura. Pelo menos 70% da população moçambicana vive no campo e desta, 70 % das mulheres trabalham na agricultura.

A jurista dá o exemplo de como estas mulheres podem beneficiar com o comércio digital, fazendo crescer o negócio se souberem expor os seus produtos ao nível internacional.

Aprendizagem
Durante a semana, representantes de governos, do setor privado, da sociedade civil e de organizações internacionais identificam formas inovadoras de moldar a economia digital africana. Um programa que a representante considera muito útil.

“No que diz respeito a Moçambique como país, que também está integrado no comércio internacional, sem sombra de duvida que é muito bom para nós porque ficamos a saber o que está a acontecer ao nível do comércio. Apercebemos que agora estamos numa época de economia digital como tal, precisamos de levar esta informação para o nosso governo como maneira de promover a nossa economia, sem sombra de dúvida que é um momento importante para Moçambique como para os países africanos”.

Sustentabilidade
Para a representante, a internet constitui ainda uma oportunidade para acelerar as metas para o desenvolvimento do país.

“De fato há uma ligação muito estreita entre o comércio digital e o desenvolvimento. O comércio digital, sem sombra de dúvida, vai permitir que alcancemos os Objetivos de Desenvolvimentos Sustentável. Isto porque através do comércio digital vamos criar muito mais trabalho, criação de emprego, e vamos também da economia nacional ou regional poder crescer. “

A jurista adianta que o governo e a sociedade de Moçambique estão pouco a pouco a entrar nesta era da economia digital.

Contudo destaca que é necessário contornar as barreiras linguísticas, uma vez que muitas das informações disponíveis sobre a utilização e os benefícios do comércio eletrônico só estão disponíveis noutros idiomas que não o português.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto:

Send this to a friend