Brasil firma parceria com países de língua portuguesa

Na capital carioca, ministros da saúde do Brasil e da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa estabelecem sete eixos prioritários de cooperação em saúde.

Por Valéria Amaral

 

Ações de cooperação em saúde. É o que propõe os sete eixos estratégicos do Plano de Cooperação em Saúde definidos, em 20 de setembro, pelo ministro da Saúde do Brasil, José Gomes Temporão, e os demais ministros da Saúde da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP). Firmada em reunião no Rio de Janeiro, a proposta explora temas que vão desde a formação de força de trabalho para o setor saúde até as ações em desastres naturais. A medida direcionará o fortalecimento do trabalho conjunto entre os países e o esforço da comunidade no desenvolvimento de sistemas e instituições de saúde entre os países membros.

Para o ministro da Saúde, a reunião "rompe a tradição de firmar apenas projetos isolados", como era feito anteriormente. A partir de agora, a comunidade tem o compromisso de trabalhar nos próximos dois anos sobre sete eixos prioritários de cooperação multilaterais em saúde. "É um passo importante porque nós vamos trabalhar de perto as grandes necessidades dos países africanos e de Timor Leste", destacou o ministro.

Os sete eixos de atuação são: formação e desenvolvimento da força de trabalho; informação e comunicação; investigação em saúde; desenvolvimento do complexo produtivo; vigilância epidemiológica e monitoramento da situação; emergências e desastres naturais e promoção e proteção da saúde.

"O papel de Brasil e Portugal é apoiar com recursos financeiros, tecnológicos e institucionais, mobilizando esforços para melhorar as condições de saúde dos países irmãos", explicou Temporão.

A reunião contou com a participação dos Ministros da Saúde de Moçambique, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Portugal, São Tomé e Príncipe e Brasil. Timor Leste enviou um representante. Angola foi o único país a não enviar membro, devido às eleições naquele país.

Acordos: Durante a reunião, foram firmados três acordos de cooperação técnica bilaterais. Dois projetos com Cabo Verde e um com Moçambique. O primeiro projeto prevê ações de cooperação entre Brasil e Cabo Verde em relação à malária, como troca de informações, desde o diagnóstico da doença à profilaxia adotada pelo Brasil. O segundo projeto irá desenvolver o primeiro Banco de Leite Humano em Cabo Verde, inédito em um país africano. A tecnologia genuinamente brasileira será transferida aquele país. O terceiro projeto será para fábrica de medicamentos de Moçambique. O Brasil irá capacitar os técnicos que vão trabalhar na fábrica para produção de medicamentos, embalagens e outros insumos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto:

Send this to a friend