“Onde estamos errando?”

Mundo Lusíada

Dirigentes associativos da comunidade portuguesa ouvem o português Vital Vieira Curto na Câmara Municipal de Santo André.

Segundo ele, os portugueses da diáspora estariam comprometendo o seu futuro, com a promoção dos costumes e a cultura portuguesa para uma mesma comunidade inalterável. Apesar de uma forte presença portuguesa em todo o país – a estimativa não oficial é de que cerca de 3 milhões de portugueses vivam em São Paulo – a comunidade portuguesa conta sempre com as mesmas pessoas. “Eu acho que nós temos que fazer a autocrítica, onde é que estamos errando” diz o luso-brasileiro, fazendo referência à solenidade do Dia da Comunidade Luso-Brasileira, na Câmara Municipal de Santo André. “Nós temos centenas de milhares de pessoas convivendo e sempre vêm aqui as mesmas pessoas, e a colônia portuguesa sobrevive graças a essas pessoas. Mas não é um número representativo da nossa colônia”.

Para Vital, a comunidade precisa se reunir também para discutir seus problemas futuros. “Nós que freqüentamos esses ambientes precisamos nos sentar e nos fazer autocrítica, onde é que nós estamos falhando, porque isso vem ocorrendo há anos”, disse em entrevista ao Mundo Lusíada.

Interessado em história, Vital Curto ainda citou a obra de José Pimenta, Tributo a Portugal, como leitura obrigatória aos luso-brasileiros. “Todo homem da Comunidade Portuguesa devia ler esse livro, descobri nomes que eu não conhecia e ninguém conhecia. Abílio Fronha da Fontoura, já ouviu falar? Esse homem era uma fábula, ele deu monumentos inteiros para a cidade de São Paulo, representando a Comunidade Portuguesa”. Sessão Solene Durante a sessão solene do Dia da Comunidade Luso-Brasileira em Santo André, Vital Vieira Curto fez um relato objetivo da história dos grandes portugueses enraizados no Brasil. Participando pela primeira vez como orador, Vital citou grandes grupos empresariais, a evolução do Brasil com a contribuição de portugueses, e enalteceu Portugal.

Antonio Pereira Inácio, o avô do empresário Antônio Ermírio de Moraes (Grupo Votorantim) foi citado pelo orador na Câmara Municipal como fundador de uma das maiores empresas do país e um dos maiores empresários que o Brasil já teve. Vital abordou a história desde o descobrimento até o momento atual, citando algumas das importantes ferramentas que fizeram do país “a potência que é”. “Café, açúcar, álcool, língua portuguesa e preservação da Amazônia, é o que o Brasil tem que se pode afirmá-lo grande” exemplificou. Ao final, citou ser “um orgulho” os portugueses terem criado um país que é 98 vezes maior do que o seu país de origem, Portugal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto:

Send this to a friend