O Mundo ao contrário do Secretário de Estado das Comunidades

Feridos portugueses dos atentados deixados ao abandono em Bruxelas e mortos em Lyon com direito a avião da força aérea e viagem inútil de José Luís Carneiro.

 

Por Paulo Freitas do Amaral

Após o terramoto de 1755 em Lisboa, o Marquês de Pombal, conde de Oeiras disse uma frase que ficou famosa entre o povo português: “É preciso enterrar os mortos e cuidar dos vivos”.

Se o Governo português através do seu inexperiente Secretário de Estado das Comunidades tivesse tido em conta este pensamento na última semana que vivemos dois acontecimentos tristes no estrangeiro poderia ter sido extremamente vantajoso para Portugal e para os portugueses.

José Luís Carneiro, Secretário de Estado das Comunidades Portuguesas além da péssima gestão de informação que fez dos atentados de Bruxelas, voltou a meter o pé na poça na questão dos portugueses que morreram em França quando se dirigiam para Portugal.

A governação da pasta dos emigrantes está a ser gerida ao sabor da comunicação social e pode tornar-se dispendiosa e espalhafatosa, estando mesmo à beira de cair no ridículo.

Quando existem por mês centenas de funerais de portugueses que morrem no estrangeiro e que as suas famílias pretendem a transladação dos corpos para Portugal, José Luís Carneiro abre uma exceção neste contexto e disponibiliza recursos da nossa força aérea para apoiar um caso particular…A lista de pedidos dos nossos compatriotas para a Secretaria de Estado das Comunidades irá certamente aumentar …

Além deste facto surreal, este governante ainda pretende viajar para Lyon, não sei muito bem para fazer o quê…certamente para apresentar cumprimentos ao cônsul que está a fazer o seu trabalho normal…

Teria sido bastante mais útil e corajoso por parte deste Secretário de Estado ter viajado com a sua equipa para Bruxelas para apoiar as dezenas de feridos portugueses dos atentados… Isso sim teria sido cuidar dos vivos…Se o problema era a segurança do governante, ai sim seria justificável utilizar o avião da força aérea para se deslocar…

Ter ficado a “mandar bitaites errados” pela comunicação social acerca do número de portugueses nos atentados foi bastante pior…

E a propósito dos atentados de Bruxelas há que referir que a verborreia de informação por parte do Governo foi péssima e perigosa. José Luís Carneiro começou por afirmar às 8 da manhã do dia da tragédia que não havia nem vítimas, nem feridos nos atentados no metro e no aeroporto em Bruxelas….O que constatámos depois, passadas umas horas foi que a realidade era bem diferente, os feridos portugueses ultrapassavam os 20 e espero que José Luís Carneiro tenha aprendido que nesta área não pode haver precipitações, ainda para mais quando pode existir a possibilidade de famílias de mais de 20 famílias portuguesas estarem a ouvir pela rádio um governante a falar sobre os seus entes no estrangeiro.

José Luís Carneiro que já tinha demonstrado a sua inépcia na gestão de informação nos atentados de Paris, voltou a surpreender pela negativa e está na iminência de se tornar um saco de boxe deste Governo, tantas são as suas gaffes…

Veremos pois se no futuro tem mais em atenção o pensamento do nosso “Conde de Oeiras” ou se continuará nesta frenética governação que não olha a poupanças, nem à descrição necessária nos casos de morte de portugueses com vista a realizar o seu papel com eficácia.

 

Por Paulo Freitas do Amaral
Consultor, ex-assessor do Secretário de Estado das Comunidades Portuguesas, candidato à presidência da Câmara Municipal de Oeiras, ex-deputado municipal e presidente de junta de freguesia da Cruz quebrada-Dafundo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto:

Send this to a friend