João Ramalho e a fundação do Exército Brasileiro são homenageados pela Prefeitura de Santo André

Portugueses do ABC participam da solenidade que teve homenagem ao Prefeito Dr. Aidan Ravin, condecorado com a medalha Marechal Castelo Branco.

Por Odair SeneMundo Lusíada

 

Mundo Lusíada

>> Paulo Freitas, presidente da Casa de Portugal do Grande ABC falando no Paço Municipal durante solenidade em homenagem a João Ramalho.

 

Na manhã de sábado, dia 17 de abril, o Prefeito de Santo André, Dr. Aidan Ravin, participou da solenidade que homenageou o fundador do município, o português João Ramalho, e a criação do

Exército Brasileiro. O evento, que aconteceu no Paço Municipal, em frente à estátua do desbravador lusitano, contou também com a presença de representantes da Casa de Portugal do Grande ABC, entidade que reúne a colônia portuguesa na região. Cerca de 300 pessoas acompanharam os ritos militares comandados pelo Major Maurício Máximo de Andrade, comandante adjunto da seção de Tiros de Guerra da 2ª região militar.

Dr. Aidan Ravin foi condecorado com a medalha Marechal Castelo Branco, honraria instituída pelo Exército para comemorar os 362 anos de nascimento da corporação. Em seguida, o Prefeito de Santo André, ao lado do presidente da Casa de Portugal do Grande ABC, Paulo Augusto de Freitas, depositou uma coroa de flores no monumento de João Ramalho. Ao falar para os presentes, o prefeito andreense destacou a importância do evento cívico militar, ressaltando o valor do serviço militar na vida dos jovens. Segundo ele, quando entra para o tiro de guerra, o jovem adota outra postura diante da sociedade, faz amigos para toda a vida e leva essa experiência em sua trajetória. “Eu mesmo entrei no Tiro como atirador e sai como cabo”, ressaltou.

Sobre a colônia lusa e o fundador da cidade, o Prefeito demonstrou todo seu carinho pelos descendentes dos descobridores do Brasil. “É difícil encontrar quem não tenha na família a raiz portuguesa. Este povo cultua suas tradições por amor e tem um coração que, de tão grande, sai do peito”, finalizou.

Segundo Paulo Freitas, presidente da Casa de Portugal, e que também falou durante a solenidade, o evento é realizado há muitos anos e a presença portuguesa é indispensável, ressaltando ainda que a cada ano vem melhorando a frequência.

Agradecendo a presença de todos, Paulo Freitas convidou a todos para a sessão solene na Câmara Municipal, marcada para 20 de abril. “Nossa relação com o poder público é das melhores possíveis e nos empenhamos para manter assim”, disse o presidente ao Mundo Lusíada.

Terminada a solenidade no Paço, foi oferecido um café aos presentes, pela Prefeitura andreense. Mais tarde, os convidados se dirigiram à sede da Casa de Portugal, para um almoço de confraternização, com a presença da vice-prefeita, Dina Zecker (PTB), e seu marido, o vereador Israel Zecker (PTB).

JOÃO RAMALHOO desbravador português fundador de Santo André, João Ramalho, nasceu em Vizela em 1493 e morreu em 1580 no Brasil. Partiu de seu país em 1512 em um navio, buscando a Ilha do Paraíso. Naufragou na costa brasileira, na então capitania de São Vicente, litoral sul de São Paulo, por volta de 1513. Encontrado pela tribo dos Guaianazes, ganhou prestígio junto aos índios com quem vivia e casou-se com a filha do Cacique Tibiriçá, a índia Bartira, batizada depois de Izabel Dias. Do casamento resultaram nove filhos.

Ele fundou, no planalto de Piratininga, uma povoação que batizou como Santo André da Borda do Campo, elevada em 8 de abril de 1553 à categoria de vila, da qual foi capitão, alcaide e vereador. Na época Tomé de Souza era o Governador Mor. O Rei João III de Portugal nomeou João Ramalho Guarda-mor das terras altas de Piratininga, título entregue por Martim Afonso de Souza quando foi recebido por Ramalho no planalto. Como intermediário, ajudou Martin Afonso de Souza na fundação de São Vicente, em 1532.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto:

Send this to a friend