Dia de Portugal em São Bernardo foi marcado por homenagens

Por Vanessa Sene Mundo Lusíada

Mundo Lusíada

>> Mesa solene na sessão do Dia de Portugal, na Câmara Muncipal de São Bernardo.

A Casa de Portugal do ABC e o Conselho da Comunidade Luso-Brasileira do Estado de São Paulo (CCLB) promoveram uma concorrida sessão solene na Câmara Municipal de São Bernardo do Campo, em comemoração ao 10 de Junho – Dia de Portugal, Camões e Comunidades Portuguesas.

A mesa solene foi composta pelo presidente do CCLB, Antonio de Almeida e Silva, o presidente da Casa de Portugal do ABC, Paulo Freitas, o cônsul-geral de Portugal em São Paulo, José Guilherme Queiroz de Ataíde, o vereador Otavio Manente, presidente da Câmara dos Vereadores de São Bernardo, a presidente do Elos Clube Internacional da Comunidade Lusíada, Maria Inês Botelho, o presidente da Casa de Portugal de São Paulo, Dr. Julio Rodrigues, e o presidente do Memorial da América Latina, Fernando Leça.

Em nome das associações luso-brasileiras, falou o presidente do Conselho da Comunidade, destacando a atuação da Casa de Portugal do Grande ABC e sua atual diretoria que vem desenvolvendo um bom trabalho com a comunidade local, além de citar a total integração dos portugueses na sociedade brasileira. No dia especial, Almeida e Silva destacou o poeta Camões como símbolo de união entre todos os portugueses nas comunidades da diáspora. E citou que este Dia Nacional celebra o conceito de ser português, e apesar dos versos de Camões e a linguagem da época não serem fáceis de entender, é um símbolo do português de hoje. "Um poeta que fala por nós" afirmou.

Em seu discurso, Almeida e Silva ainda defendeu as relações assíduas com as comunidades dos países de acolhimento, e assim, a melhor forma de ressaltar Portugal seria falar do Brasil, a "nossa maior obra". "Este país é o exemplo mais emblemático da integração, dos laços de amizade e amor" afirmou ressaltando a atual relação entre Brasil e Portugal.

Ao Mundo Lusíada, o presidente da casa Otavio Manente elogiou o espírito de união dos portugueses e a iniciativa para lembrar o Dia de Portugal. "A comunidade portuguesa é muito importante e muito forte em nossa região. Assim fico muito honrado em participar deste ato em homenagem à Portugal e aos portugueses do ABC Paulista" diz o vereador.

Na extensa sessão solene, a Câmara Municipal e a Comunidade local prepararam diversas homenagens aos portugueses da região e de São Paulo, reunindo mais de 30 homenageados. O bom público presente ainda acompanhou uma apresentação de teatro do Grupo Dragão 7, com uma adaptação da peça "Inês de Castro, até o fim do mundo", contando a célebre história de amor entre os portugueses Inês e Pedro, da época do Portugal Medieval.

A peça, que tem 1h40 na íntegra, foi apresentada em 10 minutos durante a solenidade, volta em cartaz em São Paulo no mês de agosto. E é uma livre adaptação do livro "Mensagens de Inês de Castro" de Francisco Cândido Xavier e Caio Ramacciotti.

Um dos homenageados da noite, Caio Ramacciotti afirmou ao Mundo Lusíada que acompanhou o trabalho teatral do Grupo Dragão 7, e gostou muito da produção elaborada por Creusa Borges e baseada em seu livro.

Chico Xavier A sessão solene contou com uma homenagem póstuma a Chico Xavier, que recebeu título de cidadão são-bernardense, e que psicografou mensagens da portuguesa Inês de Castro, na época do Portugal Medieval, as quais foram entregues para Caio Ramacciotti, quem Chico Xavier confiou todas as cartas de Inês, numa celebre história de amor ocorrida em Portugal, por volta de 1340.

Caio Ramacciotti recebeu a homenagem e agradeceu toda a comunidade portuguesa pela surpresa. Segundo ele, Chico dedicava uma simpatia à Portugal e ao povo português. E afirmou ainda que em 1977, quando recebeu estas cartas, elas enfatizavam poemas e uma realidade própria da história. "Não há historiador que consiga explicar a decapitação de Inês, uma mulher apaixonada por D. Pedro I. E as mensagens mostram o porquê de determinadas situações".

Assim como Chico Xavier, Caio Ramacciotti afirmou ter grande estima pela comunidade portuguesa, algo que aprendeu com ele. "Se Chico Xavier pudesse falar, ele diria obrigado e pediria que façamos o que ele fez, amando aos outros e passando os ensinamentos de Jesus". Saiba mais sobre essa história na próxima edição.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Send this to a friend