Casas dos Açores no Brasil entre os homenageados no Dia da Região Autônoma

Mundo Lusíada
Com Agencias

O governo dos Açores homenageia no Dia da Região, nesta segunda-feira, 38 personalidades e instituições que se distinguiram em várias áreas, numa sessão no concelho da Madalena, na ilha do Pico.

Entre as instituições escolhidas para serem homenageadas estão as casas de açorianos no Brasil: Casas dos Açores do estado do Rio Grande do Sul, do Rio de Janeiro, de Santa Catarina e ainda de São Paulo (Brasil).

A solenidade é organizada em conjunto com a Assembleia Legislativa e do Governo dos Açores, com homenagens a 23 personalidades, cinco das quais a título póstumo, e 15 instituições da região.

Entre as figuras que são distinguidas com a Insígnia Autonómica de Reconhecimento estão a professora universitária e escritora Maria Adelaide Correia Monteiro de Freitas, assim como o professor, escritor, encenador e poeta Victor Rui Ramalho Bettencourt Dores.

Com a Insígnia Autonómica de Mérito Profissional são condecorados o investigador e professor catedrático António Manuel de Frias Martins, assim como a professora catedrática e socióloga Gilberta Margarida de Medeiros Pavão Nunes Rocha, além de Armando Ademar Monteiro Anahory (a título póstumo), antigo presidente do Conselho de Administração do Hospital de Ponta Delgada e provedor do Utente da Saúde.

A Insígnia Autonómica de Mérito Industrial, Comercial e Agrícola é atribuída, entre outros, à Cooperativa Agrícola Lacticínios do Faial, enquanto a Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários da Ilha do Corvo é condecorada com a Insígnia Autonómica de Mérito Cívico, atribuída também às Casas dos Açores do estado do Rio Grande do Sul, do Rio de Janeiro, de Santa Catarina e ainda de São Paulo (Brasil).

“Este é, também, o dia em que celebramos a nossa Autonomia porque, efetivamente, ela foi, e é, bem para além da artificialidade da retórica ou das querelas, a expressão política e institucional que, resultando da tensão criadora de diversas perspetivas e propostas, tem sido capaz de responder, em concreto, às legítimas ambições de progresso e desenvolvimento do Povo Açoriano” defendeu na solenidade o presidente do governo Vasco Cordeiro.

O Dia da Região Autónoma dos Açores foi instituído pela Assembleia Legislativa em 1980.

A data, feriado regional, celebra a “afirmação da identidade dos açorianos, da sua filosofia de vida e da sua unidade regional”, consideradas “base e justificação da autonomia política que lhes foi reconhecida e que orgulhosamente exercitam”, salienta o governo açoriano.

Melhor emprego

O Presidente do Governo também apelou às organizações patronais e sindicais para que reforcem o diálogo e a concertação, no sentido de se alcançarem soluções que permitam o sucesso do combate à precariedade do emprego e uma melhoria das remunerações dos trabalhadores da Região.

“Quero aqui deixar um convite e um apelo, não só a cada um dos empresários e trabalhadores desse setor, mas também às suas organizações representativas, como, por exemplo, as Câmaras do Comércio e as estruturas sindicais, desde logo, a UGT/Açores e a CGTP/IN. Esse convite e apelo é para que, em especial no setor turístico, à semelhança do que muito recentemente aconteceu, com o empenho de todos os intervenientes, no setor das pescas, criem ou reforcem, os canais ou espaços de diálogo e concertação que possam conduzir a uma melhoria da remuneração e ao sucesso no combate à precariedade do emprego na Região”, afirmou Vasco Cordeiro.

Vasco Cordeiro recordou que, durante o período de crise que o turismo viveu na Região, foi exigido aos empresários e trabalhadores que fizessem um esforço acrescido, e mesmo alguns sacrifícios, no sentido de garantir a sobrevivência do setor turístico regional.

“Hoje, não pode deixar de ser exigível que também todos possam beneficiar dessa fase de afirmação, crescimento e prosperidade. Assim é para o turismo, mas também assim deve ser para os restantes setores de atividade económica”, destacou o Presidente do Governo, ao salientar ser agora tempo de “nos debruçarmos sobre um desafio que tem vindo a ganhar premência crescente na nossa economia e na nossa sociedade e que é a qualidade do emprego”.

Nesta sessão solene, o Presidente do Governo defendeu que o desenvolvimento sustentado do setor turístico não pode ser, assim, apenas sinónimo de recordes nas taxas de crescimento das dormidas, do número de hóspedes ou dos proveitos, devendo também se traduzir na melhoria das condições de trabalho, quer ao nível remuneratório, quer ao nível da estabilidade e segurança laboral.

Vasco Cordeiro referiu que, ao nível do emprego, no primeiro trimestre deste ano, a Região atingiu 15 trimestres sucessivos com descidas homólogas da taxa de desemprego, e entrou já no sexto trimestre sucessivo de aumento homólogo da população empregada.

“No que respeita à criação de riqueza na nossa Região, os dados oficiais relativos a 2017, embora provisórios, indicam que os Açores ultrapassaram, pela primeira na sua história, os quatro mil milhões de euros de riqueza produzida num só ano”, destacou.

Relativamente ao turismo, o Presidente do Governo sublinhou que 2017 foi o ano em que, com mais de 2,3 milhões de dormidas e cerca de 800 mil hóspedes, se bateram recordes, não só nesses indicadores, mas também em termos de proveitos, com cerca de 90 milhões de euros gerados nessa atividade.

Vasco Cordeiro ainda dirigiu ainda uma saudação especial a todos os agraciados na solenidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto:

Send this to a friend