Sexta, 28 de Julho de 2017 Mundo Lusiada no Facebook Mundo Lusiada no Twitter Mundo Lusiada no YouTube

Em seis meses, mais de 50 mil portugueses decidiram morar no Brasil

Por | 20 dezembro, 2011 as 10:41 am | 6 comentários

Segundo o Ministério da Justiça, a maioria dos cidadãos que entram no Brasil para residir é de origem portuguesa, boliviana, chinesa e paraguaia.

 
Por Ígor Lopes
Mundo Lusíada

O número de portugueses que residem no Brasil, atualmente, aumentou cerca de 19% (um total de 52.153 pessoas), em seis meses, segundo levantamento do Departamento de Estrangeiros da Secretaria Nacional de Justiça do Ministério da Justiça, que foi publicado no início de novembro. Em junho deste ano, o número de residentes de nacionalidade lusa era de 328.856, contra 276.703, verificado em dezembro de 2010. Só no Rio, vivem mais de 100 mil portugueses.
Segundo dados do Ministério da Justiça, a maioria dos cidadãos que entram no Brasil para residir é de origem portuguesa, boliviana, chinesa e paraguaia. No período de dezembro de 2010 e junho de 2011, os bolivianos passaram de 35.092 para 50.640 cidadãos, os chineses, de 28.526 para 35.265, e os paraguaios, de 11.229 para 17.604.
De acordo com dados do Consulado Geral de Portugal no Rio de Janeiro, mais de 100 mil portugueses vivem na cidade carioca. Segundo o cônsul-geral de Portugal no Rio, Antônio de Almeida Lima, toda imigração é uma decisão individual e difícil. Para ele, a crise europeia acaba por alavancar o índice de imigração em Portugal. Nesse sentido, o Brasil, pela fase que atravessa, acaba por se tornar atrativo.
“Eu diria que as condições econômicas difíceis que se estão a atravessar na Europa, e em Portugal, em especial, ajudaram a que muitos jovens portugueses licenciados estejam a olhar para o Brasil, um país que está exatamente no sentido inverso, passando pela afirmação, crescimento econômico e estabilidade política. Não há turbulências. Existem condições para um crescimento econômico mais sustentável. Os portugueses olham agora para o Brasil, como olhavam, em menor escala, para outros continentes”, explica o diplomata, que revela que “se fosse um jovem que não tivesse emprego, ou com algumas dificuldades na sua afirmação empresarial em Portugal, pensaria na imigração”. Este responsável acredita, porém, que hoje em dia pensar em imigração não é algo definitivo.

Número de estrangeiros no Brasil aumentou
O Departamento de Estrangeiros da Secretaria Nacional de Justiça aponta que o número de estrangeiros regulares no Brasil, em 2011, aumentou em quase 50% em relação a 2010. Até junho de 2011, o Brasil já possuía cerca de 1.466 milhão de estrangeiros, enquanto que, em dezembro de 2010, o quantitativo não ultrapassava os 961 mil.
Ainda de acordo com os números apresentados pelo ministério, muitos vistos têm sido emitidos para realização de trabalhos temporários, estudos e pesquisas. Em nota, o Secretário Nacional de Justiça, Paulo Abrão, afirma que o Brasil torna-se um país atrativo e que se apresenta como reflexo do crescimento econômico, da consolidação do país no mercado internacional e de uma maior visibilidade internacional. “Mais pessoas buscam aqui o seu novo lar e a esperança. Devemos lembrar também que temos tradição e vocação em receber bem, sem xenofobia, e os migrantes sempre foram muito importantes em nossa história e para a construção do Brasil”, diz Abrão.
De acordo com este responsável, a maior presença de chineses é um fenômeno que ocorre em todo o mundo, em especial nos países que têm com a China relações comerciais e políticas bilaterais crescentes. “Os paraguaios e bolivianos, em sua maioria, exercem o direito humano à migração e vêm em busca de oportunidades”, sublinha.
Na opinião da diretora do Departamento de Estrangeiros do Ministério da Justiça, Izaura Miranda, outro fator que teria influenciado diretamente o aumento de estrangeiros regulares no país foi a Lei nº 11.961/2009, responsável pela Anistia Migratória. Por essa razão, foram regularizados cerca de 45 mil estrangeiros. Houve também o Acordo sobre Residência para nacionais dos estados que fazem parte do Mercosul, em vigor desde o início em 2009. Os cidadãos do Mercosul podem optar por requerer visto em país distinto do seu de nacionalidade, ou residência, caso já esteja nesse outro país, ainda que irregular.
“O objetivo da regularização dos estrangeiros foi proporcionar uma vida mais digna àqueles que aqui se encontravam de forma irregular, à margem de seus direitos fundamentais”, avalia a diretora. Sobre o acordo de residência Mercosul, Izaura Miranda afirma que o instrumento representou grande avanço na integração e fortalecimento do bloco.
Levantamento do Departamento de Estrangeiros da Secretaria Nacional de Justiça revela que também houve aumento significativo na concessão de permanência ou residência definitiva a estrangeiros no Brasil entre 2008 e 2010. O número de pedidos quase dobrou: subiu de 10.689 para 18.058 nesses dois anos.
O Ministério acrescenta que, ao estrangeiro permanente no Brasil, é assegurado o exercício dos mesmos direitos civis, culturais e econômicos dos brasileiros, em particular o direito ao trabalho e à livre iniciativa, além do acesso à justiça, inclusive gratuita, à saúde, à educação, e aos direitos advindos das relações de trabalho e emprego.
Houve também aumento na concessão da nacionalidade brasileira por meio da naturalização em quase 100 por cento de 2008 para 2010. Em 2008, foram naturalizados 1.119 estrangeiros e, em 2010, 2.116.

Menos brasileiros moram no exterior
Esse mesmo relatório informou, porém, que a quantidade de brasileiros que vivem no exterior diminuiu consideravelmente, uma vez que, além da diminuição do interesse pela emigração, grande parte dos brasileiros que viviam fora do Brasil tem restabelecido sua residência no País.
O Ministério diz não ter dados sobre a quantidade de brasileiros vivendo no exterior, mas estima-se que hoje haja cerca de dois milhões de nacionais residindo fora do país, enquanto que, em 2005, esse número chegava a quatro milhões.
Pesquisa do Banco Central aponta que o envio de remessas do exterior para o Brasil foi reduzido, uma vez que, em 2009, o país recebeu cerca de US$ 2,27 milhões de dólares de remessas de brasileiros vivendo no exterior, enquanto que, em 2010, foram remetidos para o Brasil US$ 2,07 milhões de dólares.



+ Acessadas



 

6 respostas para “Em seis meses, mais de 50 mil portugueses decidiram morar no Brasil”

  1. Emanuel de Nóbrega disse:

    É algo curioso falar da atratividade do Brasil, ou melhor dizendo, da economia emergente Brasil, em relação aos portugueses, cuja nacionalidade tem forte projeção na história económica da Brasil, seja dos tempos idos dos “achamentos”, seja por todo periodo de colonização, seja formação da própria sociedade brasileira e, seja ainda pelo forte contributo para aquela economia se tornar no que é hoje – a manutenção dos recursos naturais num país uno e indivisível através do processo dos “bandeirantes”.
    Indago:
    Qual as facilidades existentes para o cidadão português emigrar para o Brasil?

  2. daniel disse:

    Caro Emanuel de Nóbrega você acha que Portugal colaborou no desenvolvimento do Brasil e quer que os portugueses tenham benefícios para entrarem aqui na maior facilidade? Portugal em nada contribuiu para o desenvolvimento brasileiro, Portugal explorou tudo que tinha pra explorar quando eramos colonia e ficaram com toda a riqueza produzida aqui, os portugueses deveriam serem tratados como qualquer ouros cidadãos de outros países. Portugal não representa nada para o Brasil.

  3. Ricardo disse:

    Sobre os comentários do Emanuel de Nóbrega e do Daniel: Acho que Portugal pouco colaborou na construção do Brasil. Podemos citar pouquíssimas coisas boas evidentes, como: Foi um povo que lidou bem com outras racas, com o sincretismo religioso, e realmente avançou na expansão territorial com os bandeirantes. Por outro lado, fez coisas que muito prejudicaram o desenvolvimento do Brasil, e que se refletem ate hoje, como: O terrível comercio de escravos (se trouxeram os escravos a forca da Africa, por que não os deram oportunidades de emprego, moradia e estudo quando foram libertos?), o não investimento em educação e ensino popular, as acoes puro extrativistas (que extraia riquezas nossas; ouro, prata, diamantes, e outras pedras preciosas), que enviavam para a Inglaterra em troca de proteção militar. O não investimento na então era da revolução industrial, que reflete hoje nesta diferença entre as nações europeias.

  4. Glória Veloso disse:

    Corroboro com a questão de Emanuel Nóbrega
    QUAIS AS FACILIDADES EXISTENTES PARA UM CIDADAO PORTUGUES NO BRASIL?
    Isto porque, em Portugal os cidadãos Brasileiros, foram e são abrangidos de uma excelente proteção, e até alteração na legislação, para favorecer o surto emigratório que geraram. Desde a obtenção de documentos, até á obtenção de crédito para a aquisição de imovel,assim comoprotecção judicial, o cidadão brasileiro, tem benefícios, específicos que o cidadão português não tem. Isto é um facto. E o que tem o cidadão português no Brasil?

  5. Caleb Fonseca disse:

    UM POUCO D’ÁGUA PARA LUIZ
    Publicado em 5/2/2005
    Caleb Fonseca 
    JesusSite
    Por volta do ano 1782, nascia um bebê em Portugal, deram-lhe o nome de Luiz. Em seus dias, com pouco tempo de idade, sua mãe, vendo seus olhos esmorecidos pelo horizonte febril da morte, neste estado avançado com o triste panorama, ao contemplá-lo, verificou que algo assombroso estava para acontecer. “Muito em breve, iria ficar sem sua preciosidade”. Que tristeza!… Que sentimentos!…, Ninguém poderia avaliar… Quantas vezes e cheio de ternura, pudera contemplar este montinho de carne suave e belo, aninhado em seus braços… Este tesouro tão querido, converteu-se na fonte de sua maior tristeza! Por instantes pensou… não vou banhar nenhuma criança depois de morta…, não me apraz, não tenho coragem! Ao certificar-se da terrível situação, fez uma tomada de posição: Pegou uma bacia, e foi lavar seu filho como se fôra a última vez, pois ele estava prestes a se despedir do mundo de então. 

    Naturalmente com seus olhos marejados em lágrimas, ora mordendo seus lábios, ora com um sorriso trêmulo, como qualquer mãe o faria, pega-o em seus braços, e pôde ver como tremia, este tão pequenino e indefeso. Poderiam passar em seus pensamentos… 

    — Quantas crianças já morreram…, por que meu filho vai embora tão cedo…? — Por que meu bebê mereceria isto? — Não poderia haver uma boa razão para que o Senhor fizesse uma exceção nesse caso? 

    Quando o menino estava sendo banhado, ao lhe passar a esponja embebida de água à sua boca, ele procurou ingerir as gotas do precioso liquido, com tanta avidez, que sua mãe deteve-se a pensar por instantes… O panorama em que pousavam os seus olhos, era animador e, de repente ao perceber num momento de “insight” o acontecimento, disse para si mesma: 
    — De sede não vai morrer! Pensou na maravilhosa bondade em conceder-lhe um pouco de água, em suas últimas expressões, a um ente tão amado. Entretanto, os últimos poucos minutos d’aquela horrível tristeza, escoavam na ampulheta do tempo; pois ao levar aquele copo d’água fria, seu filhinho a absorveu prazerosamente, o qual lhe motivou seu restabelecimento total. 
    O caso de Luiz, não obstante, foi diferente de tantas crianças que já partiram; a sua sorte foi mudada, sua estrutura pegou outra forma. 
    Veio ao Brasil, construiu famílias; de seus descendentes saíram: Vários advogados, médico, psicóloga, empresários, engenheiro, professores, biólogo etc… através de um de seus filhos, foi lançada uma semente na qual foi a resultante de vários templos evangélicos construídos. Ninguém saberia que através desta criança seria a elevação de muitos neste gigante país. 
    Luiz cresceu, ele amava a Deus de coração, seu propósito era servi-lo, procurava agradar-lhe pelas palavras e ações. Amigos…, — Um sorriso, um aperto de mão, uma palavra de simpatia, uma mensagem de amizade por e-mail, são sementes que germinam facilmente. Pode funcionar como: — Um copo de água fria para algum sedento. Uma simples palavra, muda situações. A palavra produz, pois a palavra é semente. Um amor tardio, é melhor do que o amor que não brota nunca! As vezes a semente pode ser pequenina, como a de um ladrão na cruz que, com alguma migalha de amor, pediu:— Uma lembrança apenas… — Um gesto carinhoso… — Uma gotinha de amizade… “E acrescentou: Jesus, lembra-te de mim quando vieres no teu reino”. Lc 23:42 “Jesus lhe respondeu: Em verdade te digo que hoje estarás comigo no paraíso”. Lc 23:43 

    Pelo pouco que pediu, recebeu o muito que não ousara pedir. Bebeu da Maravilhosa Fonte que salta para a vida eterna… Continuem semeando… Com quanto entusiasmo havemos de recolher as sementes, e aguardar a transformação em lindas plantas sadias e robustas! Quem sabe alguém através de você, bebe as águas da “Preciosa Fonte” e, adquirindo assim, vida de eterna felicidade! 

    Quantos Luizes ou Luizas estão precisando de um pouco de água somente. Você pode dar um copo de água fria para alguém??? SELAH [selah significa: pense nisso] 

    Gostaria que os leitores desta mensagem, quando dela se lembrarem, dessem graças a Deus por esta mãe que deu ao seu filho um copo de água fria. Pois, queridos, se não houvesse o restabelecimento desta criança, muitas coisas ditas em cima, não existiriam, nem este escritor, nem tampouco esta mensagem: Pois, ele era meu avô.
    Seu nome: Luiz Manoel da Fonseca.

  6. Alex disse:

    Sinceramente, acho desnecessário ficar criticando sobre nossa colonização atualmente. Já somos libbertos de Portugal desde quando? 1.822! Quase 200 anos. E o que fizemos para melhorar o pouco de bom que eles fizeram aqui? Precisamos arregaçar nossas mangas, cumprir com o que está escrito em nossa bandeira: ORDEM e PROGRESSO! E parar de ficar arrumando justificativas para nosso “lento” desenvolvimento. Querendo ou não essa é a nossa história, está ligadíssima a Lisboa e não mudará isso! Vejam o exemplo da Coréia do Sul que em poucos 50 anos em que se tornou? Isso depois de uma colonização, muito pior pela França, uma guerra contra este país e depois outra interna. Quer coisa pior? Portugal nos explorou? E qual império europeu não o fez. Inglaterra nos EUA, Espanha em toda américa latina, excetuando-se a nós. Recebamos nossos, hoje, amigos portugueses de bem com a vida e mostremos a eles que de longe já crescemos e não mais precisamos deles. Muito pelo contrário estamos de braços abertos, vejam o Cristo Redentor,para todo povo de qualquer nação, desde que estejam bem intencionados para com a nossa terra. Portugueses, Argentinos, Chilenos, Americanos, Japoneses, Alemães, Italianos, Árabes, Africanos e todos os demais povos sejam bem vindos. Até mesmo porque como se diz sabiamente, aqui. O que se leva desta vida, é a vida que se leva. De um brasileiro, mais que legítimo, mistura de 3 raças e com sangue bom, que gosta de disciplina e cultura, com aversão às Xpertezas e jeitinhos que não nos levaram a muita coisa. Chega de chorar por nossos erros e culpar os outros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

 
 
© 2011 Jornal Mundo Lusíada - RVR PROMOÇÕES E PUBLICIDADE LTDA. Todos os direitos reservados.
Assine - Fale Conosco - Publicidade