UNESCO proclama Obra-Maestra do Patrimônio Oral e Imaterial da Humanidade Galego-Português

Desde 2001, a Proclamação das Obras-Primas do Patrimônio Oral e Intangível da Humanidade ocorre a cada dois anos, selecionando, por meio de um júri internacional, espaços e expressões de excepcional importância, dentre candidaturas oferecidas pelos países. Em 2002, o Brasil apresentou a sua primeira candidatura, preparada pelo Museu do Índio e retratando a cosmologia e a linguagem gráfica dos índios Wajãpi, do Amapá. Na Proclamação de 2005, o Samba de Roda do Recôncavo Baiano também foi incluído na lista de Obras Primas do Patrimônio Oral e Intangível da Humanidade. Para que seja considerado Obra-Mestra do Património Oral e Imaterial da Humanidade a UNESCO considera imprescindível que satisfaça as condições: – Ser um património ainda vivo; – Ter manifestações de excelência; – Estar em perigo de desaparecimento; – E, quando se inclui numa Candidatura Multinacional (como no caso de "A Tradição Oral Galaico-Portuguesa: Candidatura a Património Oral e Imaterial da Humanidade), deve ainda ter manifestações variadas de um substrato comum partilhado entre países;

Além das gravações, registros e arquivos, a UNESCO considera que uma das formas mais eficazes de preservar o patrimônio intangível é garantir que os portadores desse patrimônio possam continuar o produzindo e transmitindo. Assim, a Organização desenvolve o programa de Tesouros Humanos Vivos, que estimula os países a criarem um sistema permanente de identificação de pessoas (artistas, artesãos etc.) que encarnam, no grau máximo, as habilidades e técnicas necessárias para a manifestação de certos aspectos da vida cultural de um povo e a manutenção de seu patrimônio cultural material. As culturas desaparecem de maneira diferente da que acontece com os monumentos que perduram, mais facilmente, ao longo do tempo e, por isso mesmo, a UNESCO protege especialmente as culturas que, como aquela que é objeto desta Candidatura, estão vivas e em perigo de desaparecimento, dado que a sua salvaguarda é uma garantia de sustentabilidade da diversidade cultural. A Candidatura do Patrimônio Imaterial Galego-Português (www.opatrimonio.org) apresenta um patrimônio vivo, mas ameaçado pelas modificações dos hábitos de vida e pelo desaparecimento dos portadores. Esta candidatura valoriza a cultura tradicional comum da euroregião, território de origem duma cultura que, na atualidade, apresenta manifestações em muitos países do mundo. É de destacar o caráter multinacional da candidatura que valoriza a cooperação transfronteiriça através dum patrimônio comum que satisfaz, também, os requisitos de excelência e de diversidade, requeridos pela UNESCO.

O processo da candidatura nasceu em 1995, no âmbito duma experiência educativa e radiofónica denominada “Ponte … nas ondas!” (www.pontenasondas.org), sendo um projeto apresentado pelas escolas da Galiza e do Norte de Portugal e apoiado pela Rede de Escolas Associadas à UNESCO dos dois países peninsulares. Um dos aspectos importantes que resultará da proclamação desta candidatura reside no facto de deverem ser precisamente as escolas o lugar de transmissão e de preservação deste patrimônio imaterial. A candidatura contou com o apoio dos Governos de Portugal, de Espanha e da Junta da Galiza, que lograram a apresentação de uma candidatura de dois países membros da União Europeia. 

Informações da Federação do Folclore Português (FFP)  Paris, França

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto:

Send this to a friend