Patrimônio e prática profissional entre temas do Congresso dos Arquitetos em Portugal

Evento acontece em Lagoa, no Algarve.

Da Redação
Com Lusa

O patrimônio arquitetônico e paisagístico ou a prática na profissão são os temas em destaque no 15.º Congresso de Arquitetura, que se realiza entre quinta-feira e sábado, em Lagoa, no Algarve, e conta com profissionais do Brasil e outros países.

Segundo o presidente da Ordem dos Arquitetos, José Manuel Pedreirinho, o encontro vai juntar “mais de 300 profissionais” no centro de Congressos do Arade e promover “um forte debate de ideias” em temas que “têm a ver, fundamentalmente, com o patrimônio, o patrimônio arquitetônico e o patrimônio paisagístico”, que a Ordem entende que “devem ser entendidos como uma unidade”.

“Abordar a arquitetura na paisagem e abordar a paisagem como arquitetura e, portanto, trabalhar as duas vertentes – as duas dimensões, digamos assim – em conjunto, e por outro lado o tema das práticas profissionais. São assim os dois temas centrais do nosso congresso”, afirmou o presidente da Ordem, organizadora do evento, que tem prevista a participação do primeiro-ministro, António Costa, na sessão de encerramento, no sábado.

A mesma fonte precisou que a “prática profissional é um assunto que tem também neste momento uma série de implicações e problemas que importa abordar e tratar” para “tentar resolver alguns” e, naqueles problemas que ultrapassam a classe, “propor soluções aos órgãos de soberania, aos Governos”.

“Os problemas são vários, mas diria que um dos principais é o do acesso à profissão, o problema dos jovens arquitetos, o problema dos estágios, de como são feitos, a abordagem dos temas que podem ser tratados, que tem causado alguns problemas e que o estágio defende como obrigatório. É uma questão que será seguramente discutida”, considerou.

Além das múltiplas mesas redondas e debates previstos, o 15.º Congresso dos Arquitetos vai também organizar visitas a patrimônio arquitetônico e paisagístico local importante, como a Capela do Monte (da autoria de Álvaro Siza Vieira), a Exposição “50 Livros, 50 Algarves… ler o patrimônio” (patente na Biblioteca da Câmara Municipal de Lagoa) ou a obras realizadas em Algar Seco e Sítio das Fontes (com a orientação do arquiteto paisagista José Vieira), observou.

“Vamos ter vários arquitetos paisagistas connosco e pessoas de outras áreas com que temos atividades complementares. Vamos ter também algumas organizações às quais estamos ligados, como a Fundação Comomo Ibérico, uma organização internacional com a qual vamos realizar uma reunião de trabalho”, destacou também o presidente da Ordem dos Arquitetos.

Esta instituição “tem defendido a proteção, o estudo e a conservação de edifícios de arquitetura moderna, portanto do século XX”, que têm sido “pouco cuidados”, frisou a mesma fonte.

Vai também haver uma “reunião ligada à Comunidade Internacional de Arquitetos de Língua Portuguesa (CIALP), que envolve os países de língua portuguesa e que traz representantes de outros países, como Brasil, Angola ou outros”, e ser distinguida como membro honorário da Ordem o Colégio Superior de Arquitetos de Espanha, destacou.

Sobre a participação, que já superou os 300 inscritos, José Manuel Pedreirinho considerou-a “razoavelmente boa” e disse que conta já com um “numero significativo e superior ao de outros anos”, que “afasta” para já “o receio” de “haver menor participação por o Congresso se realizar pela primeira vez no Algarve”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto:

Send this to a friend