Parte das comemorações do 10 de Junho em Cabo Verde é “escolha natural”

Arquivo Lusa: Presidente de Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa (E) durante uma recepção na Câmara do Mindelo, Cabo Verde, em 2017. ANTÓNIO COTRIM/LUSA

Da Redação
Com Lusa

As comemorações do Dia de Portugal de 2019 vão começar em Portalegre, antes de prosseguirem junto dos portugueses e lusodescendentes residentes em Cabo Verde, como já anunciado no início do ano.

Para o primeiro-ministro, a opção de celebrar parte do 10 de Junho fora de Portugal é uma “entre as muitas coincidências de pontos de vista” entre Governo e Presidente português, considerando natural a escolha de Cabo Verde.

No final da V Cimeira Portugal – Cabo Verde, em Lisboa, quer António Costa quer o primeiro-ministro cabo-verdiano, Ulisses Correia e Silva, foram questionados sobre a escolha de Cabo Verde para acolher parte das comemorações do 10 de Junho.

“Entre as muitas coincidências de pontos de vista que, tradicionalmente, o Governo e a Presidência da República têm, deu-se o caso de, quer eu na campanha para as legislativas, quer Marcelo Rebelo de Sousa na campanha para Belém, ambos termos defendido que esse dia devia passar a ser comemorado não só no território português, mas também junto das comunidades portuguesas”, realçou Costa.

Depois de Paris, Brasil e Estados Unidos terem acolhido parte das comemorações, a escolha de Cabo Verde surgiu como natural: “Faltava-nos o continente africano”, disse, acrescentando que a escolha se deveu igualmente aos 18 mil portugueses que residem nesse país.

“Tivemos um excelente acolhimento. Vai ser um momento muito importante de continuar a manter esta tradição de celebrar em Portugal e junto das nossas comunidades”, afirmou.

Questionado sobre o diploma que lhe foi entregue pelo Presidente da República sobre nomeações familiares, o primeiro-ministro considerou que “não era oportuno” tratar essa matéria no final da V Cimeira com Cabo Verde.

Por seu lado, Ulisses Correia e Silva disse que a notícia de que Cabo Verde iria receber parte das comemorações do 10 de Junho “foi muito bem acolhida”.

“As nossas relações são fáceis, de intimidade, de cumplicidade”, destacou.

Além da comunidade portuguesa residente no país, Ulisses Correia e Silva considerou que no próximo 10 de Junho se irá celebrar “a diáspora”, destacando que Cabo Verde e Portugal têm comunidades emigrantes nas mesmas cidades pelo mundo fora.

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, anunciou, em Cabo Verde, que iria passar parte do 10 de junho neste país, onde visitará as cidades da Praia e do Mindelo. E as comemorações oficiais terão início em Portalegre.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto:

Send this to a friend