Grêmio 150 Anos: Pará é o Estado mais português do Brasil, diz presidente da Câmara de Belém

Mundo Lusíada
Por iniciativa do vereador Mauro Freitas (PSDC), a Câmara Municipal de Belém promoveu em 28 de setembro uma solenidade em comemoração aos 150 anos do Grêmio Literário e Recreativo Português. Durante o evento, o Grêmio foi anunciado como “entidade de utilidade pública” do Estado do Pará, como já mencionado na solenidade realizada na Assembleia Legislativa.
Em seu pronunciamento, o presidente da casa destacou a contribuição portuguesa na construção da cidade, e citou a sua “paixão” pela comunidade e pelo Grêmio, clube em que é sócio e frequentador. O presidente do Conselho da Comunidade Luso-Brasileira do Pará, Luis Otavio Monteiro, elogiou a garra e convicção do presidente da casa, e destacou a integração da comunidade local.
Em seu discurso, o presidente do Grêmio, Alírio Gonçalves, começou por dizer que o vereador Mauro Freitas já provou que ama Portugal e o Grêmio, e agradeceu aos sócios, aos diretores e visitantes que participaram do aniversário, como a comitiva da comunidade de São Luís do Maranhão e de Manaus, presente na semana de comemorações em Belém.
Representando o governo português, o Embaixador Jorge Cabral disse ser uma honra testemunhar esse momento e ser embaixador no Brasil, transmitindo uma relação “única e irrepetível” entre Brasil e Portugal. Ao comentar os “prestigiados” 150 anos da entidade, o embaixador disse ser este um pólo agregador no estado que continuará a ter vida na sociedade de Belém, e saudou todas as associações da região. “Este é um exemplo de um associativismo dinâmico, ao longe destes 150 anos, que não envelheceu e foi se renovando em prol não só da comunidade portuguesa, mas também de uma maior integração com a comunidade local”, disse ao Mundo Lusíada o embaixador sobre o grande objetivo da comunidade que é “fundir Portugal com o Brasil”, citando principalmente a longevidade do clube.
Um vídeo apresentado na sessão solene mostrou a importância da comunidade portuguesa para a economia do Pará, especialmente na cidade de Belém. Também foi destacado durante o evento a terceira maior biblioteca portuguesa do Brasil, que recebe na sede social do clube pesquisadores de Portugal, França, Estados Unidos e diversos estados.
O presidente da Câmara ainda passou para as mãos do presidente do Grêmio a placa de Patrimônio Cultural e Imaterial do Estado. Homenagens a diversos participantes e diretores do clube foram entregues nesta tarde.

Vereador luso-brasileiro
O presidente da Câmara, Mauro Freitas (PSDC), é autor do projeto de lei que criou o Dia Municipal da Comunidade Luso-Brasileira, do projeto do voo da TAP Belém-Lisboa, criou também a Comenda de Camões, e transformou o Grêmio em Patrimônio Cultural e Imaterial. Freitas ainda solicitou o projeto para mudança do nome de uma Estação BRT para Grêmio Português, e a Estação em frente à Tuna Luso-Brasileira – que se chamaria Império Luso-Amazônico – passa a ter também o nome do clube luso.
“Desde o começo do meu mandato tenho feito um trabalho com a comunidade que me apaixonei, não tenho sangue português. Mas Belém é a cidade mais portuguesa do Brasil, e o Pará é o Estado mais português do Brasil. Quando foi declarada a Proclamação da República, o Estado do Pará foi único que ainda permaneceu por um ano e três meses como terra de Portugal. Nós temos um feriado aqui chamado ‘Adesão do Pará’, foi quando depois desse período o Estado aderiu à República e se criou esse feriado”.
Em 146 municípios, Pará tem 48 cidades com nomes de cidades portuguesas, como Belém, Bragança, Santarém, Óbidos, Viseu, Aveiro, etc. Além da influência portuguesa na arquitetura e na culinária, o vereador chama atenção para o rico turismo religioso. “Nossa cidade respira Portugal e as casas legislativas vinham esquecendo tudo isso” diz Freitas.
“Quando fiz o projeto de lei do voo da TAP, vereadores falaram que eu deveria estar me preocupando com transporte público municipal, e eu falei que é sim fundamental, mas uma cidade como Belém que vive estritamente de serviços – não temos indústrias aqui, vivemos de serviços – uma cidade que é a rota mais próxima do Brasil com a Europa, são seis horas de viagem, na cidade mais portuguesa do Brasil precisa disso” comentou o vereador, que na altura foi convidado para o voo inaugural por ser o autor do projeto, na rota que tem voos lotados até hoje. “Tenho orgulho de dizer, depois de 4 anos e 8 meses como parlamentar, que infelizmente não tenho sangue português mas com certeza sou o parlamentar mais luso desse Brasil”.
O vereador, que também é sócio do Grêmio Português, elogiou o espaço e reafirmou ser frequentador com toda sua família. “Estou trabalhando para que o clube cresça mais. Viva a comunidade luso-brasileira e viva o Grêmio Literário”.

Comunidade centenária
O presidente do Conselho da Comunidade Luso-Brasileira do Pará, Luiz Otavio Rei Monteiro, falou sobre agregação da comunidade local, fundado há mais de 50 anos pelas entidades locais, quase todas centenárias.
A Câmara de Comércio, o Hospital Beneficente Portuguesa, a Tuna Luso-Brasileira, o Grêmio Português, e Vasco da Gama são as instituições centenárias do Pará. “Em outros lugares, como a comunidade é sempre a mesma, ela acaba fazendo tudo. Aqui não, nós temos uma independência, cada uma tem uma gestão própria, são independentes totalmente. Quando precisamos nos reunirmos por algum assunto, aí sim mostramos a força da comunidade, todos reunidos” disse.
O Grêmio Português é a segunda entidade mais antiga do estado, depois da Beneficente Portuguesa que tem 163 anos. A sede do Conselho também funciona dentro do Grêmio, com uma funcionária compartilhada. “O Grêmio está sempre do nosso lado, um grande parceiro até pelo grande clube que é, abre muitas portas e o Conselho traz toda comunidade junto”, referiu Luiz Otavio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto:

Send this to a friend