Deputado Paulo Pisco apresenta proposta para valorizar diásporas europeias

Da Redação

O deputado do PS eleito pelas comunidades portuguesas na Europa, Paulo Pisco, participa em 8 de fevereiro, em Rabat, numa reunião da subcomissão das Diásporas do Conselho da Europa, onde intervirá num painel de debate sobre ‘As diferenças culturais e religiosas no contexto da integração dos migrantes’.

O deputado vai apresentar um conjunto de propostas para promover no Conselho da Europa um debate sobre a importância das diásporas para os países de acolhimento e para os países de origem, de forma a que seja reconhecida a sua importância e papel, defendendo ser uma realidade tão presente quanto desconhecida.

Só nos países da União Europeia existem, no mínimo, 36 milhões de cidadãos migrantes, sendo que 16 milhões são cidadãos comunitários que vivem noutro Estado-membro. Se forem também contabilizados os países membros do Conselho da Europa, que são 47, então o número de migrantes aumenta consideravelmente.

O deputado defende que os mesmos tendo direitos de cidadania consagrados nos tratados, nem por isso deixam de ter problemas específicos enquanto comunidade.

Um dos objetivos é promover a discussão sobre os temas de interesse das comunidades, da sua relação com os países de origem e de acolhimento, de forma a que possam ser feitas recomendações para os Estados-membros no sentido de melhorar a situação dos cidadãos migrantes dos países do Conselho da Europa, criar consciência da sua importância e contribuir para os valorizar tanto nos países de acolhimento como nos de origem.

Neste sentido, Paulo Pisco lançará algumas propostas para se fazerem estudos comparados da situação das diferentes diásporas nos países do Conselho da Europa, e assim adotar as boas práticas de outros países, promovendo “um conhecimento mais aprofundado que deverá levar à criação de condições que permitem uma melhor integração e um melhor aproveitamento do seu potencial”.

“É fundamental melhorar a imagem das diásporas aos olhos dos países de acolhimento e dos países de origem e desenvolver mais e melhores políticas públicas que vão ao encontro das suas necessidades e expetativas, para que os estudos comparados e as respectivas recomendações possam dar um contributo muito relevante” defende.

No painel em que intervém o deputado Paulo Pisco, com início às 11 horas, em representação da Assembleia da República, intervêm também Ivana D’Alessandro, das Cidades Interculturais do Conselho da Europa, Ahmed Abbadi, secretário-geral de uma ONG marroquina, e Ana Fonseca, chefe de missão da Organização Internacional das Migrações.

Em outros painéis serão discutidos os temas ‘O papel da diáspora na prevenção do extremismo e da radicalização’ e ‘A inclusão social e econômica, elemento chave para uma integração bem sucedida’.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Send this to a friend