Apoio financeiro ao regresso dos portugueses que emigraram teve 481 candidaturas

Da Redação
Com Lusa

O programa de apoio financeiro ao regresso dos portugueses que saíram do país recebeu 481 candidaturas, a maioria relativa a pessoas que deixaram Portugal entre 2011 e 2015, informou o Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP).

Dos candidatos, perto de 45% são licenciados e cerca de 83% têm entre 25 e 44 anos.

Uma “parte significativa dos candidatos” estava emigrada no Reino Unido (19%), França (17%), Suíça (14%), Brasil (8%), Espanha (6%) e Angola (6%).

De acordo com o IEFP, ao todo estão envolvidos nestas candidaturas 1.025 pessoas: 481 candidatos e 544 elementos dos respetivos agregados familiares.

Esta medida contempla um apoio financeiro que pode atingir os 6.536 euros, incluindo as despesas inerentes ao regresso a Portugal do candidato e dos seus familiares (viagens, transporte de bens e custos com o reconhecimento de qualificações em Portugal).

O programa, ao nível fiscal, isenta de tributação 50% dos rendimentos do trabalho por um período de cinco anos aos emigrantes que regressem a Portugal.

Desde que foi criado este programa, o IEFP recebeu 3.850 pedidos de informação e a sua plataforma recebeu a inscrição de 2.900 pessoas que desta forma procuram emprego para regressar a Portugal.

Para a ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho, o “número crescente de pedidos de informação e de candidaturas” justifica que se continue a “fazer a divulgação deste programa para promover o regresso dos portugueses que tiveram de sair do país”.

Remessas Emigrantes

As remessas dos emigrantes caíram 5,23% em setembro, para 308,89 milhões de euros, tendência também verificada nas verbas enviadas pelos trabalhadores estrangeiros em Portugal, que baixaram 18,23%, para 37,09 milhões de euros.

De acordo com os dados do Banco de Portugal, as remessas enviadas pelos portugueses a trabalhar no estrangeiro baixaram de 325,95 milhões de euros, em setembro do ano passado, para 308,89 milhões em setembro deste ano, o que representa uma quebra de 5,23%.

Igualmente em baixa, as verbas enviadas pelos imigrantes em Portugal para os seus países de origem diminuíram de 45,36 milhões de euros em setembro do ano passado para 37,09 milhões de euros no mesmo período deste ano, representando uma quebra de 18,23%.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto:

Send this to a friend