Carnaval de rua reúne 6,4 milhões de pessoas no Rio de Janeiro

Da Redação
com EBC

O carnaval de rua do Rio de Janeiro reuniu quase 6,4 milhões de pessoas desde a abertura oficial da festa, no dia 12 de janeiro. Somente na terça-feira de carnaval, foram 57 blocos desfilando, que reuniram 1,7 milhão de pessoas. Um deles, o Fervo da Lud, criado em 2017, arrastou 1 milhão de foliões no centro, desbancando o tradicional Bloco da Bola Preta, que reuniu no sábado (22) 630 mil foliões.

Segundo dados da Riotur, a Orquestra Voadora atraiu 330 mil pessoas ao Aterro do Flamengo, com sua fanfarra e alegorias circenses. No Jardim Botânico, 80 mil pessoas compareceram ao Vagalume o Verde. A Banda de Ipanema arrastou 95 mil foliões.

Nos quatro dias de festa, outros destaques de público foram o Carrossel de Emoções, no sábado (22), com 115 mil pessoas; no domingo (23) os maiores públicos foram no Bangalafumenga (500 mil), Areia (385 mil) e Cordão do Boitatá (80 mil); na segunda-feira (24), destaque para o Sargento Pimenta (340 mil) e para o Corre Atrás (80 mil). No fim de semana anterior ao carnaval, foi quase 1 milhão de foliões nas ruas.

Lixo no carnaval de rua
Desde sexta-feira (21), primeiro dia de desfiles na Sapucaí, a Companhia Municipal de Limpeza Urbana (Comlurb) recolheu na região do sambódromo 243,5 toneladas de lixo. Nos blocos de rua, a coleta chegou a 108,1 toneladas de lixo.

As infrações pela lei do Lixo Zero chegaram a 866, com 807 multas por urinar em local impróprio, no valor de R$ 607,54, e 59 por descarte irregular, no valor de R$ 221,75.

Folia de cinzas
Nesta Quarta-feira de Cinzas, dentre os desfiles previstos, esteve o tradicional Bloco das Mulheres Rodadas, que não integra a lista oficial do carnaval da cidade, fazendo seu sexto desfile, no Largo do Machado, zona sul do Rio. Criado em 2015, foi o primeiro bloco feminista da cidade e mistura folia com a luta pelos direitos das mulheres e contra a violência de gênero e o feminicídio.

Na abertura não oficial do carnaval do Rio, o grupo realizou a performance “Um estuprador no teu caminho” do coletivo feminista chileno LasTesis, realizado em diversas cidades no mundo, no fim do ano passado, numa mobilização mundial de denúncia contra a violência sexual estrutural sofrida pelas mulheres.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto:

Send this to a friend