Intolerância e Preconceito e o aviso prévio deixado por Bertold Brecht

 

Alunos da Universidade Estadual Paulista – UNESP, das mais conceituadas nacionalmente, organizaram em seus jogos universitários – anunciados como o maior do país ao reunir 15 mil universitários de 23 campi da escola em Araraquara em outubro último – uma ‘competição’ intitulada "Rodeio das Gordas". O objetivo era agarrar meninas, as mais obesas, e tentar ficar o maior tempo possível sobre elas, simulando a ação dos peões. Denuncias apontaram que os participantes já criavam idéias para as futuras etapas como, por exemplo, cronometrar e premiar o cowboy que ficasse mais tempo em cima das garotas, divulgando as propostas no Orkut. "Pula, gorda bandida, pula", foi ouvido diversas vezes em meio ao ‘evento’ da comunidade acadêmica. Algumas das moças que foram abusadas agora não apresentam estímulo em retornar ao seu campus para estudar. Temem ficar marcadas pelos alunos.

No mesmo mês, outro evento, este promovido pela Escola de Comunicação e Artes, a ECA/USP, também referência universitária, um casal gay foi atacado por alunos enquanto conversavam. Foram xingados, receberam arremessos de copos de cerveja, além de chutes e socos. Dias depois, em plena avenida paulista, símbolo do poder financeiro no país, três rapazes caminhavam tranquilamente e foram atacados de forma gratuita por outro grupo, que vinha em sentido contrário, também revelando ação homofobica na opinião das testemunhas.

Moradores de rua igualmente têm sido vítimas. As grandes capitais andam registrando violência contra essas pessoas indefesas, porque são atacados geralmente de noite, quando estão dormindo. Os episódios que ganharam evidência jornalística recentemente – embora não sejam exclusividade – aconteceram em Maceió, capital de Alagoas. A polícia local disse que 61% dos casos já foram esclarecidos e teriam sido motivados por conta de drogas e brigas ocasionais. Do começo do ano até meados de novembro ao menos 32 pessoas foram brutalmente mortas naquela turística cidade.

No encerramento das eleições 2010 a imprensa também noticiou que a rede social de orkut, facebook e twitter registrava uma onda de mensagens que circulava pregando ódio aos nordestinos, entendidos pelos remetentes, desde a apuração final do pleito, como ‘responsáveis’ pela vitória da candidata da situação à Presidência da República. E a ‘motivação’, diga-se, não resiste a um elementar cálculo matemático. A economista Dilma Roussef teria vencido de qualquer forma se aquela região não existisse no mapa brasileiro. Foram, no entanto, chamados de ‘lixo’ e de ‘animais’ entre outras ofensas. E o barulho fez acordar também os grupos neonazistas que aproveitaram para também atacar os negros, revelando posse de artefatos explosivos para futuras ações. E etc.

Intolerância, aversão ao outro e preconceitos generalizados exibidos sem o mínimo constrangimento são situações que o governo e a própria sociedade precisam de maneira conjunta, organizada e de forma determinada, combater sob todos os pontos de vista. A impunidade não pode de modo algum proliferar, em qualquer camada social que surgir. A democracia – tão frágil em nossa história republicana – para existir precisa de regras de conduta e obrigações a serem cumpridas, não apenas de direitos.

A liberdade tem seu preço e ele existe sob o manto da responsabilidade, da ética. Estejamos em alerta de forma permanente.

Escreveu certa vez o brilhante poeta alemão Bertold Brecht (1898-1956)

"Primeiro levaram os negrosMas não me importei com issoEu não era negroEm seguida levaram alguns operáriosMas não me importei com issoEu também não era operárioDepois prenderam os miseráveisMas não me importei com issoPorque eu não sou miserávelDepois agarraram uns desempregadosTambém não me importeiAgora estão me levandoMas já é tardeComo eu não me importei com ninguémNinguém se importa comigo."

São Paulo, 22 de novembro de 2010.

Prof. José de Almeida Amaral JúniorProfessor universitário em Ciências Sociais; Economista, pós-graduado em Sociologia e mestre em Políticas de Educação; Colunista do Jornal Mundo Lusíada On Line, do Jornal Cantareira e da Rádio 9 de Julho AM 1600 Khz de São Paulo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto:

Send this to a friend