Presidente de Portugal expressa orgulho e quer condecorar Jorge Jesus

Da Redação
Com Lusa

O Presidente de Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa, expressou orgulho em Jorge Jesus, por ter vencido, como treinador do Flamengo, a Taça Libertadores da América, e afirmou que está a ponderar condecorá-lo por esse feito.

“O meu impulso imediato era condecorá-lo, mas por muito grande que seja a emoção no exercício do meu mandato tenho de ouvir o Conselho das Ordens e tenho de ponderar se há outros que não foram condecorados e merecem, porque venceram uma taça europeia de relevância continental ou venceram mesmo uma taça intercontinental”, declarou o chefe de Estado aos jornalistas, em Lisboa.

“Mas que ele merece, de fato, todas as homenagens, isso merece”, defendeu Marcelo Rebelo de Sousa, que falava à saída do Espaço Júlia – Resposta Integrada de Apoio à Vítima, para assinalar o Dia Internacional pela Eliminação da Violência Contra as Mulheres.

Questionado sobre a vitória do Flamengo contra o River Plate, da Argentina, por 2-1, na final da Taça Libertadores, disputada no sábado, em Lima, no Peru, o Presidente da República expressou orgulho nessa conquista: “Sempre que um português chega mais longe e é excelente ou excepcional ou muito bom, em todos os domínios de atividade, nós ficamos orgulhosos, em nome de Portugal”.

“E por isso eu lhe mandei um abraço imediatamente, um abraço amigo, porque era o primeiro treinador português a vencer aquela taça”, referiu, adiantando: “E ele já me respondeu, naturalmente na onda habitual de Jorge Jesus, a dizer como se sentia muito feliz pela minha lembrança e como tinha Portugal sempre no pensamento”.

O chefe de Estado salientou que já tinha havido treinadores portugueses a vencer taças continentais e até intercontinentais, “agora, aquela, especificamente, nenhum tinha conseguido vencer”.

Por isso mesmo, interrogado se pondera condecorar Jorge Jesus, respondeu: “Vamos ver”.

“Quero ter a certeza de que não há injustiças de tratamento e que outros treinadores portugueses que tenham vencido competições continentais como esta, que não esta, também tenham sido condecorados. Isso vai ser ponderado”, justificou.

Sobre Jorge Jesus, Marcelo Rebelo de Sousa descreveu-o como alguém que “tem Portugal sempre no pensamento” e que “é visceralmente um português, até neste pequeno fato, que é no país irmão do Brasil continuar a falar português como se fala em Portugal”.

“O próprio Jorge Jesus, ao dedicar a vitória também ao povo português, ao agradecer ao povo português, ao entrar com a bandeira portuguesa, ao recordar a importância de Portugal, disse aquilo que todos nós sentimos”, considerou.

Em seguida, em resposta aos jornalistas, o Presidente da República comentou o regresso de José Mourinho à liga inglesa de futebol, como treinador do Tottenham, manifestando-se “satisfeito, a vários títulos” com essa notícia.

“Porque, primeiro, eu admiro José Mourinho e, segundo, José Mourinho, com aquele feitio que o caracteriza, em momentos cruciais, foi sempre impecável no apoio que me proporcionou. Mas isso não conta. O que conta é que é um dos grandes treinadores portugueses e do mundo, e é bom vê-lo aproveitado, porque isso projeta o nome de Portugal”, declarou.

No seu entender, “as pessoas muitas vezes não têm a noção” de como, assim como “um grande cientista, uma grande figura da cultura”, também “um grande desportista leva Portugal aos confins do mundo”.

“De fato, tem peso. Leva Portugal a todo o mundo. Isso, por muito que custe a alguns, é uma realidade que é indesmentível”, reforçou.

Mourinho manifestou-se “feliz” por Jorge Jesus ter vencido, como treinador do Flamengo, a Taça Libertadores em futebol, mas refreou a ideia de que os treinadores portugueses são melhores.

“Uma coisa não podemos desmentir: um treinador português foi campeão da Europa, um treinador português foi campeão em África e um treinador português foi campeão na América do Sul. Sou mesmo 100% português, mas não penso que sejamos os melhores do mundo. Há muito bons treinadores em todo o mundo, a qualidade não tem a ver com a nacionalidade”, afirmou, na conferência de imprensa de antevisão do jogo para a Liga dos Campeões, frente ao Olympiacos, marcado para terça-feira, em Londres.

Questionado por um jornalista português, Mourinho disse que é positivo existirem bons treinadores lusos em diferentes partes do mundo, pois dão prestígio aos profissionais do país.

“Com as boas coisas que fazemos, abrimos portas para novas gerações, abrimos oportunidades para os jovens, e sei que há muitos treinadores portugueses em todo o mundo. Se tive alguma responsabilidade nisso, fico contente”, declarou. “Em relação ao Jorge (Jesus) ganhar a Taça Libertadores com o Flamengo, fico feliz por ele”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto:

Send this to a friend