Projeto eno-Analytics cria sistema para identificar castas no Douro

Da redação com Lusa

O projeto eno-Analytics pretende criar um sistema inteligente que auxilie na identificação de castas na região do Douro e junta a Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD) e a Altice Labs.

O projeto tem a coordenação de Salviano Pinto Soares e de António Valente, docentes e investigadores da Escola de Ciências e Tecnologia (ECT) da UTAD, e está a ser desenvolvido na Quinta do Crasto, situada no concelho de Sabrosa, na Região Demarcada do Douro.

O eno-Analytics foi aprovado pela Altice Labs, enquadrado no Plano de Inovação 2020, e pretende, segundo explicou a academia transmontana em comunicado, “criar um sistema inteligente que auxilie a identificar castas na região do Douro e a estabelecer correlações com qualidade do vinho, com recurso à Internet das Coisas (IoT) e a técnicas de ‘machine learning'”.

Segundo a universidade localizada em Vila Real, esta parceria resulta da colaboração de mais de 15 anos que a ECT/UTAD tem mantido com a empresa sucedânea da PT Inovação e está a ser desenvolvido na Quinta do Crasto, na sequência do projeto PatGenvinhas que surgiu em 2013 e visou a preservação da vinha velha Maria Teresa, com mais de 100 anos.

O projeto PatGenvinhas, acompanhado por Salviano Pinto Soares, teve como principal objetivo caracterizar a totalidade da variedade de castas nas aproximadamente 30.000 plantas que fazem parte desta vinha velha, iniciativa concluída no final de 2019, com a “identificação de mais de 50 castas diferentes, entre tintas, bancas e rosadas, algumas extremamente raras e ainda não genotipadas”.

O investigador afirmou que o projeto eno-Analytics pretende, agora, complementar o trabalho iniciado em 2013 e quer criar “um sistema inteligente capaz de dar suporte à identificação das castas da vinha Maria Teresa, de modo a preservar esse patrimônio genético de elevado valor”.

“E também, numa perspetiva de extensão sensorial, instalar uma infraestrutura de recolha de dados heterogêneos, nomeadamente os obtidos por sensores IoT, normalmente associados à viticultura de precisão, que sejam dotados de capacidades de comunicação LoRa/NBIoT onde serão testadas várias soluções proprietárias e inovadoras do consórcio que recentemente foi enriquecido com a Globaltronic e a GeoDouro”, salientou.

Salviano Pinto Soares referiu que a “possibilidade de estabelecer e compreender as correlações num ‘terroir’ histórico através da aplicação de metodologias emergentes, de processamento digital de sinal para IoT ou inteligência aumentada com comunicações LoRa/NB-IoT apresenta-se como um desafio de engenharia estimulante dadas as condições muitas vezes adversas associadas à especificidade da viticultura em altura no Douro”.

No âmbito do eno-Analytics, está prevista a acomodação de um projeto piloto, designado Lab [email protected], onde serão realizados testes e ensaios com investigadores, professores e alunos, promovendo também a “produção de especificações comerciais com vista a demonstrar a aplicabilidade à indústria vitivinícola e replicação no setor agrícola ou outros”.

Salviano Pinto Soares apontou “a importância da ligação a uma empresa referência no mercado no desenvolvimento de soluções de I&D (investigação e desenvolvimento) que transforma o conhecimento em inovação tecnológica para criar diferenciação e valor no mercado, permitindo desta forma a investigadores e estudantes desenvolverem, em situação real, o conhecimento criado nas universidades”.

O projeto está a ser desenvolvido no âmbito duma tese de doutoramento em Engenharia Eletrotécnica e de Computadores por Sérgio Silva e conta com Filipe Cabral Pinto, da Altice Labs, na equipa de supervisão.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: