Beneficência Portuguesa recebe doação de área ambiental do Clube de Portugal

Odair Sene | Mundo LusíadaUma curta solenidade na terça-feira, 05 de dezembro, teve objetivo de oficializar a transferência de um terreno para a Beneficência Portuguesa de São Caetano do Sul. A área foi doada pelo Clube de Portugal do Grande ABC, que não fazia uso do terreno localizado em área de preservação ambiental na região de Riacho Grande, em São Bernardo do Campo, as margens da represa Billings.

O objetivo inicial seria usar a área para uma sede campestre aos associados do clube, numa época em que as construções não eram tão rigorosas. Hoje, o terreno que faz parte de uma área de preservação ambiental, apresenta diversas restrições para construção. “O nosso intuito é preservar isso. É a Beneficência Portuguesa usar esse imóvel com a finalidade de mostrar que o hospital também preserva a saúde de outra forma, não só necessariamente tratando de saúde, mas preservar o meio ambiente é um meio de preservar a saúde do ser humano”, disse ao Mundo Lusíada o presidente da Beneficência, Antonio Rubira. Com a área, o hospital pretende construir chalés, porém não de alvenaria, para as pessoas passarem fins de semana e para pescaria. Ainda assim, tendo como o principal intuito a preservação, segundo o presidente.

“Para a Beneficência, isso será de uso de preservação por muito tempo, até mesmo em função da degradação que está sofrendo a Mata Atlântica”, falou. Durante a transferência, Antonio Rubira citou dados de preservação da Mata Atlântica, apontando apenas 7,8% de mata virgem em níveis globais. O restante dela, inicialmente de 1,3 milhão de km² foi invadida, poluída por indústrias, restringindo a sua expansão demográfica.DoaçãoO terreno doado pelo Clube de Portugal compreende uma área de 21 mil m². “Nós não temos condições e nem temos gente suficiente para ter duas sedes. Já temos dificuldade na sede principal para manter uma sede campestre. Então por quê ter aquele terreno, pagando IPTU, se não temos condições de tocar uma outra sede?”, disse ao Mundo Lusíada o presidente do clube, André Magalhães.

O presidente do Clube de Portugal do ABC, André Magalhães, e presidente do Conselho da Beneficência Portuguesa SCS, Aparecida Pardo.

 

“É melhor doar o terreno do que deixar abandonado, para uma entidade que é co-irmã”, disse o presidente, que é sócio remido da Beneficência. De acordo com ele, sempre houve a aproximação entre as duas entidades. Muitos diretores do Clube também atuam na Beneficência. “Eu acredito que a maioria dos nossos associados do Clube de Portugal do ABC sejam sócios da Beneficência Portuguesa. Alguns deles fazem trabalhos no hospital, na área de apoio, na diretoria, no Conselho, então o estreitamento sempre houve”.

A diretoria da Beneficência espera, no entanto, um maior apoio vindo da entidade e de seus associados. “O Clube de Portugal, pela sua atividade associativa cultural e benemerente reúne muita gente, e esse apoio, logicamente, seria ótimo também para a Beneficência”, falou André Magalhães.

De acordo com o presidente do hospital, Antonio Rubira, essa união entre o Clube de Portugal do ABC e a Beneficência Portuguesa de São Caetano é muito válida. “Nós voltamos a interagir com esse pessoal. Isso é muito importante porque desde a construção, o hospital sempre contou com este pessoal. E hoje, nós estamos administrando e estamos sempre no Clube de Portugal. Hoje queremos interagir com mais velocidade, e isso é bom, nós vamos ficar mais fortes”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto:

Send this to a friend