Assinatura de contratos para aviões KC-390 marcam “grande dia” para Portugal e Brasil

Da Redação

O primeiro-ministro português, António Costa, qualificou este dia 22 como “um bom dia” para as Forças Armadas e para a indústria e “um grande dia” para as relações Portugal/Brasil a assinatura dos contratos para a compra das aeronaves KC-390.

“É um bom dia para as nossas Forças Armadas, é um bom dia para o nosso sistema de inovação e indústria, é um bom dia para a cidade de Évora, para o conjunto do Alentejo e para a coesão territorial e é um grande dia para as relações entre Portugal e o Brasil”, destacou o primeiro-ministro à Lusa.

Segundo António Costa, que discursava nas instalações da Embraer em Évora, na cerimônia em que foram assinados os contratos para a aquisição por Portugal de aeronaves KC-390, “hoje é um dia particularmente feliz por quatro razões”, que passou a explicar, uma a uma.

Os contratos para a compra de cinco aviões da construtora aeronáutica brasileira, com componentes feitos em Portugal, nomeadamente nas unidades da Embraer, as duas fábricas em Évora e a OGMA (Alverca), visam substituir os Hércules C-130, e envolvem um total de 827 milhões de euros.

O negócio inclui a aquisição de um simulador de voo e a manutenção das aeronaves nos primeiros 12 anos de vida.

Segundo António Costa, as Forças Armadas Portuguesas “veem hoje reforçadas, no âmbito da execução da Lei de Programação Militar, as suas capacidades em matéria aeronáutica”, disse, em primeiro lugar.

E, frisou, ficam dotadas “com uma nova geração de aeronaves de transporte tático e estratégico, de apoio a missões de interesse público que podem substituir a esquadra dos C-130 que, desde 1977, operam ao serviço da Força Aérea Portuguesa”.

Quanto às relações entre Portugal e o Brasil, disse que “sempre foram aliados e países irmãos”, estas “correspondem a interesses permanentes” de ambos os Estados e o KC-390 é disso exemplo: “É efetivamente um projeto cooperativo, desenvolvido em conjunto pelas diferentes entidades no Brasil e em Portugal” e que já originou outros projetos industriais semelhantes com a Embraer.

Segundo a Embraer, o KC-390 foi desenvolvido para estabelecer novos padrões de eficiência e produtividade na sua categoria, apresentando ao mesmo tempo o menor custo do ciclo de vida do mercado. A aeronave cumpre os requisitos da Força Aérea Portuguesa sendo capaz de realizar diversas missões civis, incluindo apoio humanitário, evacuação médica, busca e salvamento e combate a incêndios florestais e acrescenta capacidades superiores de transporte e lançamento de carga e tropas, e reabastecimento em voo.

“Este é o coroamento de um criterioso processo de seleção que nos deixa orgulhosos, representando o ingresso do KC-390 no mercado internacional. O KC-390 atenderá às necessidades operacionais de Portugal, garantindo a capacidade de integração com as nações aliadas pelas próximas décadas”, afirmou Jackson Schneider, Presidente e CEO da Embraer Defesa & Segurança. “Este contrato reforça a parceria industrial entre Portugal e a Embraer, contribuindo para o desenvolvimento da engenharia e da indústria aeronáutica em Portugal”.

Portugal é o maior parceiro internacional do Programa KC-390 e a sua participação no desenvolvimento e na produção da aeronave é reconhecida como tendo tido um impacto econômico positivo na criação de empregos, novos investimentos, aumento de exportações e avanços tecnológicos, de acordo com a empresa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto:

Send this to a friend