PSD apresenta voto de pesar pela morte do empresário e cônsul Armênio Mendes

Da Redação

O PSD apresentou um voto de pesar pela morte do empresário e cônsul Armênio Mendes, radicado há longos anos em Santos, que é votado nesta sexta-feira na Assembleia da República portuguesa.

“Na passada manhã do dia 13 de outubro, morreu, com 73 anos, em Santos, vítima de doença prolongada, o Comendador e Cônsul Honorário de Portugal, Armênio Mendes” traz a nota divulgada pelo deputado José Cesário.

Oriundo de Chão de Couce (Ansião) onde nasceu em 2 de agosto de 1944, Armênio Mendes chegou a Santos com 18 anos tendo, desde cedo, iniciado atividade empresarial. “Algum tempo depois enveredou pelo setor da construção civil, área em que atingiu um enorme sucesso traduzido na construção de um grande número de empreendimentos imobiliários, estabelecimentos hoteleiros e espaços comerciais, o que lhe permitiu granjear um enorme respeito junto das autoridades estaduais e municipais da região da Baixada Santista e do Estado de São Paulo”.

Em 2008, o Governo Português decidiu nomeá-lo Cônsul Honorário de Portugal em Santos, sendo reconhecido como uma personalidade destacada da comunidade portuguesa e um dos grandes obreiros da integração dos portugueses na sociedade brasileira e da aproximação entre os dois países.

“Armênio Mendes teve um papel relevante no plano cívico na vida da comunidade portuguesa residente na região de Santos deixando uma importante obra social, educativa e cultural com forte impacto na vida de todos os nossos compatriotas que emigraram para esta região brasileira. Assim, a Assembleia da República, reunida em sessão Plenária, apresenta as suas mais sentidas condolências à Família do Comendador Arménio Mendes, tornando este sentimento extensivo a toda a Comunidade Portuguesa de Santos, destacando o seu elevado contributo para a elevação do nome de Portugal no Brasil” finalizou.

O corpo do empresário português, que morreu aos 73 anos vítima de câncer, foi sepultado na noite de 14 de outubro em Santos, após velório aberto ao público ocorrido no Paço Municipal que reuniu familiares, amigos, autoridades e representantes do Governo de Portugal. Estiveram presentes o embaixador Jorge Dias Cabral, o cônsul geral de Portugal em São Paulo, Paulo Lourenço, e cônsul-adjunto, Hugo Gravanita.

Uma missa foi celebrada pelo bispo diocesano de Santos no Salão Nobre da prefeitura, onde ocorria o velório desde sexta-feira (13). Depois, o caixão onde estava o corpo de Armênio foi levado até o Memorial Necrópule Ecumênica em uma viatura do Corpo de Bombeiros às 20h30 sob aplausos. A Missa de Sétimo Dia de Armênio Mendes aconteceu nesta quinta-feira na Catedral Diocesana de Santos.

Em mensagem, a família Mendes divulgou nota de agradecimento por todo o carinho e o “mar de flores” que vem recebendo. “Muito mais do que empreendimentos, como ele mesmo dizia. Construiu marcos para a cidade, mas temos certeza de que o maior deles está sendo visto neste último Adeus. O seu legado de admiração e carinho”.

“Para quem o conheceu como eu, dispensa-se apresentações. Para quem não o conheceu, nem todas as palavras do mundo seriam suficientes para demonstrar tudo o que fez e tudo o que foi Armenio Mendes. Homem simples, humilde, inteligente, corajoso e acima de tudo humano. Amigo de todos os que o circundavam. Tratava pelo nome a grande maioria de seus funcionários. Fazia questão de cumprimentar à todos sem distinção de cargo ou posição. Ajudava muitos sem alarde. Para mim, muito mais que um exemplo, pessoalmente, Armenio foi uma inspiração para fazer sempre bem e melhor o quanto possa” declarou o gestor do Consulado Honorário de Portugal em Santos, José Augusto do Rosário.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto:

Send this to a friend