Turismo em Portugal e no Brasil apostam em selo de segurança para retomada do setor

Mundo Lusíada

Os governos brasileiro e português pensam novas formas de retomar o turismo diante da pandemia do novo coronavírus, que paralisou o turismo mundial e restrições de viagens para turistas internacionais em 100% dos destinos, segundo a Organização Mundial do Turismo.

Em Portugal, os empreendimentos turísticos, empresas de animação turística e agências de viagem (empresas que possuem registro junto da Autoridade Turística Nacional) podem solicitar a declaração como Estabelecimento “Clean & Safe”.

O Turismo de Portugal criou um selo para distinguir as atividades turísticas que asseguram o cumprimento de requisitos de higiene e limpeza para prevenção e controle da Covid-19 e de outras infecções, reforçando a confiança do turista no destino.

Este reconhecimento tem a validade de um ano, é gratuito e opcional, e exige a implementação nas empresas de um protocolo interno que, de acordo com as recomendações da Direção-Geral da Saúde, assegura a higienização necessária para evitar riscos de contágio e garante os procedimentos seguros para o funcionamento das atividades turísticas.

O selo “Clean & Safe” pode ser obtido online, nas plataformas digitais do Turismo de Portugal e estará sempre associado ao número de registo da entidade.

Depois de submetida a Declaração de Compromisso por parte das empresas, estas podem utilizar o selo “Clean & Safe” nas suas instalações, e nas plataformas digitais.

Ainda de acordo com o órgão, em coordenação com as entidades competentes, serão realizadas auditorias aleatórias aos estabelecimentos aderentes.

“Com esta medida a Autoridade Turística Nacional pretende não apenas transmitir às empresas informação sobre as medidas mínimas necessárias de higiene e limpeza dos estabelecimentos como promover Portugal como destino seguro do ponto de vista de cuidados com a propagação do Vírus, com uma atuação coordenada por parte de todas as empresas do setor e que se alargará brevemente a outras áreas de atividade conforme inúmeras manifestações de interesse” comunica do Turismo de Portugal.

Integrado no Ministério da Economia e da Transição Digital, o Turismo de Portugal é a Autoridade Turística Nacional responsável pela promoção, valorização e sustentabilidade da atividade turística.

“Turista Protegido”

Também o Ministério do Turismo brasileiro lançou na sexta-feira, Dia Nacional do Turismo, o selo “Turista Protegido”, a primeira etapa do programa que criará protocolos de segurança sanitária e de boas práticas para cada um dos segmentos do setor.

O programa busca chancelar as atividades turísticas que assegurarem o cumprimento de requisitos de higiene e limpeza para prevenção da Covid-19. Inicialmente, estão previstos 16 protocolos de boas práticas, que buscarão ser segmentados de acordo com as especificidades de cada um dos setores atendidos, como meios de hospedagem, agências de turismo, locadoras de veículos, transportadoras, parques temáticos, casas de espetáculo, guias de turismo. A orientação para cada categoria será divulgada nos próximos dias.

“A criação do selo de boas práticas em questões associadas à biossegurança é a primeira etapa do Plano de Retomada do Turismo Brasileiro, coordenada pelo MTur, a fim de minimizar os impactos da pandemia e preparar o setor para um retorno gradual às atividades” divulga a pasta.

O selo estará vinculado ao Cadastro de Prestadores de Serviços Turísticos (Cadastur). Os estabelecimentos precisam estar cientes e orientar os turistas sobre como cumprir as precauções básicas de prevenção ao coronavírus, incluindo os procedimentos básicos de assepsia, monitoramento diário para avaliação da febre, verificação de tosse ou dificuldade em respirar, cumprimento as orientações do Ministério da Saúde para limpeza de superfícies e tratamento de roupa nos estabelecimentos.

“Essa política do Ministério do Turismo está alinhada as melhores práticas globais e é mais uma ação da Pasta de olho na retomada da atividade turística em todo o país. Vamos sair na frente e assegurar que os anseios do turista por uma viagem mais segura seja atendido”, comentou o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio.

A medida pretende qualificar o setor turístico com informação sobre as medidas de higiene e limpeza adotadas pelos estabelecimentos e, também, promover o país como um destino turístico protegido e preocupado com visitantes nacionais e internacionais.

O impacto das medidas adotadas para conter a pandemia do novo coronavírus nas operadoras de turismo brasileiras já soma R$ 3,9 bilhões em adiamentos e cancelamentos de viagens, que já passam de 90% até maio, segundo a Associação Brasileira das Operadoras de Turismo (Braztoa).

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: