Ponta Delgada será “capital da nação portuguesa” no Dia de Portugal

Mundo Lusíada
Com Lusa

O presidente da Câmara de Ponta Delgada congratulou-se com a escolha dos Açores para as comemorações do Dia de Portugal, considerando que em 10 de junho a cidade “é a capital da nação portuguesa”.

“Nós encaramos esta distinção como o envolvimento de Portugal inteiro na sua projeção atlântica para uma nacionalidade universal. Por isso, gostaria de deixar com ênfase a percepção que tenho: a 10 de junho Ponta Delgada é a capital da nação portuguesa”, disse José Manuel Bolieiro, em conferência de imprensa.

As comemorações do 10 de junho nos Açores arrancam na quinta-feira, em Ponta Delgada, com concertos pela banda da Armada e do Exército, batismos de navegação e mergulho e várias atividades militares, culminando, no domingo, numa cerimônia com o Presidente português.

Congratulando-se com a escolha, por parte da Presidência da República, de Ponta Delgada para as comemorações, José Manuel Bolieiro disse que isso coloca a cidade numa “projeção nacional e internacional” que honra e orgulha a autarquia.

As comemorações são uma organização tripartida entre a Câmara Municipal de Ponta Delgada, o Governo Regional dos Açores e a Presidência da República.

A autarquia vai entregar, no sábado, a Chave de Honra do Município ao Presidente da República no Salão Nobre dos Paços do Concelho, com a presença de todos os eleitos locais.

Com várias atividades na Avenida Infante D. Henrique, marginal da cidade de Ponta Delgada, o programa oficial das celebrações do 10 de junho integra ainda um concerto na Igreja de São José com um órgão de tubos do século XVIII e a participação do Coral de São José.

Luísa Schanderl, chefe de gabinete do presidente do Governo dos Açores, destacou no programa, entre outras iniciativas, a apresentação de cumprimentos ao Presidente da República, no sábado, no Palácio de Santana, onde vão estar 90 representantes de países de todo o mundo.

“Estes países de certeza que levarão uma recordação dos Açores como um povo amável, que gosta de receber e gosta de partilhar a sua cultura”, sublinhou.

Luísa Schanderl disse ainda ser “uma honra para a cidade de Ponta Delgada, para os Açores e para o Governo Regional receber o Presidente da República na sua sessão de cumprimentos do corpo diplomático no Palácio de Santana e oferecer uma série de apoios logísticos para que esses eventos se realizem”, demonstrando o saber receber, o saber conviver e a cultura do povo açoriano.

A responsável referiu-se também ao fato de o Dia de Portugal de Camões e das Comunidades ser igualmente celebrado com a comunidade açoriana nos Estados Unidos da América.

Pedro Coelho Dias, em representação dos três ramos das Forças Armadas, realçou a realização das atividades militares complementares onde os ramos das Forças Armadas “aproveitam para fazer uma mostra das suas capacidades”, com interação do público, no “intuito de criar uma relação e proximidade com os açorianos”.

Entre sexta-feira e domingo, três navios, duas fragatas e um navio reabastecedor, vão estar abertos a visitas. As comemorações nos Açores terminam no domingo com a cerimônia militar, no Campo de São Francisco, onde vão estar cerca de 1.300 militares dos três ramos das Forças Armadas concentrados numa parada militar.

Estados Unidos

As comemorações do Dia de Portugal com a participação do Presidente da República e do primeiro-ministro vão realizar-se entre Ponta Delgada, nos Açores, e Boston e Providence, nos Estados Unidos, de 09 a 12 de junho.

O programa nos Estados Unidos começa com a “cerimônia do içar da bandeira nacional na Praça Municipal (‘City Hall’) de Boston”, Massachusetts, no dia 10 à tarde, seguindo-se um “espetáculo de luzes e fogo no rio da baixa de Providence”, Rhode Island.

No dia 11 de manhã, “terá lugar no Parlamento Estadual (‘State House’) de Boston uma sessão solene dedicada a Portugal”.

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, anunciou no ano passado que as comemorações do Dia de Portugal em 2018 iriam decorrer na Região Autônoma dos Açores e prosseguir nos Estados Unidos da América, onde vivem cerca de 1,4 milhões de portugueses e lusodescendentes, estimando-se que 70% sejam de origem açoriana, segundo a Direção Regional das Comunidades.

No dia 10, em Ponta Delgada, o programa “começa no Campo de São Francisco, com a Cerimônia Militar Comemorativa do Dia de Portugal, na qual participam mais de mil militares dos três ramos das Forças Armadas”, após a qual “o Presidente da República, acompanhado pelo primeiro-ministro, António Costa, parte para os Estados Unidos da América”.

Em território norte-americano, “ao fim da tarde, decorre a cerimônia do içar da bandeira nacional na Praça Municipal (‘City Hall’) de Boston”, onde “terão lugar várias iniciativas promovidas por associações da comunidade portuguesa e luso-descendente do Estado de Massachusetts, designadamente o ‘Boston Portuguese Festival'”.

“Ainda no mesmo dia, o Presidente Marcelo Rebelo de Sousa assistirá ao espetáculo de luzes e fogo no rio da baixa de Providence, organizado pela comunidade portuguesa. Trata-se de um marco das celebrações de Portugal no Estado de Rhode Island”, lê-se no comunicado da Presidência da República.

No dia 11, o programa começa com a sessão solene na ‘State House’ de Massachusetts e inclui ainda uma receção no navio-escola Sagres, que estará atracado no porto de Boston.

Antes do seu regresso a Lisboa, “o chefe de Estado visitará o Museu da Baleia de New Bedford”, também no Estado de Massachusetts, onde já não deverá estar acompanhado pelo primeiro-ministro, António Costa, que viaja nesse dia para a Califórnia, numa deslocação de caráter sobretudo econômico a várias cidades dos Estados Unidos, até 16 de junho.

Por sua vez, Marcelo Rebelo de Sousa regressará aos Estados Unidos na última semana de junho para se encontrar com o presidente norte-americano, Donald Trump, na Casa Branca, em Washington.

A Presidência da República salienta que estas comemorações do 10 de Junho coincidem com “a primeira edição do ‘Mês de Portugal nos Estados Unidos da América’, que conjuga várias iniciativas em diferentes regiões norte-americanas”.

Em 2016, ano em que tomou posse como chefe de Estado, Marcelo Rebelo de Sousa lançou um modelo inédito de comemorações do Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas, acertado com o primeiro-ministro, António Costa, em que as celebrações começam em território nacional e se estendem a um país estrangeiro com comunidades emigrantes portuguesas.

Nesse ano, o Dia de Portugal foi celebrado em Lisboa e Paris e, em 2017, no Porto e nas cidades brasileiras do Rio de Janeiro e São Paulo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto:

Send this to a friend