Comércio Brasil-Portugal cresceu 41,4% em relação ao mesmo período do ano passado

Da Redação

O comércio corrente entre o Brasil e Portugal cresceu 41,4% em relação ao mesmo período do ano passado, puxado pelo aumento das exportações brasileiras de óleos combustíveis e soja, e das exportações portuguesas de azeites e componentes de aeronaves, de acordo com os dados divulgados na semana passada pelo Ministério da Economia.

As relações comerciais entre Brasil e Portugal, com dados do comércio exterior de todos os estados brasileiros onde há Câmaras luso-brasileiras, estão disponíveis no material desenvolvido pela Federação das Câmaras Portuguesas de Comércio no Brasil em parceria com a Câmara Brasil Portugal no Ceará.

As transações entre Brasil e Portugal representaram no ano passado 0,78% dos negócios internacionais brasileiros. Nesse contexto, o Brasil vende mais do que compra a Portugal. No consolidado anual houve crescimento das exportações brasileiras para Portugal e a progressiva redução das exportações portuguesas desde 2018.

No primeiro trimestre de 2021 os números foram inferiores aos registrados no mesmo período de 2020. Apesar disso, os volumes somados do comércio entre os dois países permanecem melhores do que os resultados correntes de 2019 e boa parte dos últimos anos.

Portugal está na 32ª posição na lista de maiores parceiros comerciais do Brasil por volumes de exportações brasileiras. Por sua vez, Portugal ocupa o 39º lugar no ranking de países fornecedor para o Brasil.

As exportações brasileiras para Portugal são, sobretudo, ligados ao setor extrativista, representando 62% de todos
os produtos adquiridos por Portugal no primeiro trimestre deste ano. A pauta das importações portuguesas
provenientes do Brasil também é composta por bens industriais (19%) e produtos do agronegócio (19%). Já as exportações portuguesas para o Brasil são basicamente de produtos industrializados.

O Brasil vende, sobretudo, óleos minerais e as exportações portuguesas para o Brasil são lideradas por óleos vegetais. Entretanto, os volumes transacionados no primeiro trimestre para esses dois itens são expressivamente inferiores aos transacionados no mesmo período do ano passado.

Os destaques positivos do período são, pelo lado brasileiro, a soja que cresceu e representa quase 11% da
pauta de exportações brasileiras para Portugal. Do lado português, destaque positivo vai para as bebidas e pescados, que cresceram no mesmo período.

O pior desempenho das vendas portuguesas para o Brasil no trimestre foi de aeronaves e suas partes.

Estados

O Rio de Janeiro lidera com folga o volume das transações entre o Brasil e Portugal puxadas, sobretudo, pelas vendas brasileiras de óleos minerais. Nas exportações brasileiras para Portugal, destaque para Mato Grosso devido às transações do agronegócio.

São Paulo e Santa Catarina lideram as importações Brasileiras provenientes de Portugal. No nordeste, destaque
para Pernambuco que se consolida como importante centro logístico para as importações de produtos portugueses.

O Observatório de Negócios Internacionais da Federação das Câmaras Portuguesas de Comércio no Brasil tem o apoio de APSV Advogados.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: