Surto de Covid-19 no Belenenses coloca mais de 100 pessoas em isolamento

Os jogadores do Belenenses após o jogo da primeira liga portuguesa entre o Belenenses SAD e o Benfica terminou aos 48 minutos, com o Belenenses a esgotar o número mínimo de jogadores, após ter começado com apenas nove, devido a um surto de covid-19, no Estádio Nacional, em Oeiras 27 Novembro. Foto ANTONIO COTRIM/LUSA

Da Redação com Lusa

Mais de 100 pessoas da estrutura do Belenenses SAD estão em isolamento, devido a um surto do coronavírus SARS-CoV-2, associado a nova variante Ómicron, confirmou à Lusa fonte oficial da equipe da I Liga de futebol.

Entre toda a estrutura do Belenenses SAD – jogadores, equipe técnica e ‘staff’ da equipe principal e de sub-23 – e os contatos diretos dos 13 casos positivos de infecção confirmados nos ‘azuis’, o número de pessoas em isolamento ultrapassa a centena.

Apenas na estrutura do Belenenses SAD, são cerca de 70 os elementos que estão em isolamento profilático, decretado pelas autoridades de saúde, que, segundo a mesma fonte, estão a ir “mais além” do que aquilo que o protocolo sanitário prevê, uma vez que os casos são originários da nova variante, detetada recentemente na África do Sul.

No sábado, o Belenenses SAD entrou em campo com apenas nove jogadores disponíveis para defrontar o Benfica – dois deles guarda-redes -, devido ao surto do coronavírus, responsável pela pandemia de covid-19, que atingiu o plantel.

O encontro foi suspenso no início da segunda parte, aos 48 minutos, depois de os ‘azuis’ terem ficado sem o número mínimo de futebolistas legalmente exigido para o desenrolar de um jogo (sete).

Para a segunda parte do encontro, o Belenenses SAD regressou com apenas sete atletas, mas a lesão de mais um jogador originou o fim do encontro, que o Benfica vencia por 7-0.

Na segunda-feira, o Belenenses SAD pediu a repetição do jogo com os ‘encarnados’.

A covid-19 provocou pelo menos 5.206.370 mortes em todo o mundo, entre mais de 261,49 milhões infecções pelo novo coronavírus registadas desde o início da pandemia, segundo o mais recente balanço da agência France-Presse.

Números em Portugal

Em Portugal, desde março de 2020, morreram 18.441 pessoas e foram contabilizados 1.147.249 casos de infecção, segundo dados da Direção-Geral da Saúde.

Portugal registrou nas últimas 24 horas mais 2.907 casos confirmados de infeção e 11 mortes atribuídas à covid-19, bem como mais 24 pessoas internadas com a doença.

Ao dia de hoje estão internadas 833 pessoas com covid-19, das quais 116 em unidades de cuidados intensivos, onde deram entrada mais cinco pessoas nas últimas 24 horas.

A maior parte dos novos casos foi diagnosticada na zona Norte (964), seguindo-se Lisboa e vale do Tejo (921 casos) e zona Centro (629).

Das 11 mortes, cinco ocorreram na região de Lisboa e Vale do Tejo, uma na região Norte, duas na região Centro, duas no Algarve e uma no Alentejo.

Nova variante na Europa

O número de casos confirmados na Europa da variante Ómicron do SARS-CoV-2, considerada de preocupação, subiu hoje para 44, anunciou o Centro Europeu de Prevenção e Controle das Doenças (ECDC), assinalando que todos têm historial de viagem.

Numa atualização epidemiológica publicada ao início da tarde, que tem por base dados facultados ao ECDC pelos Estados-membros da UE/EEE até às 12:00 (hora de Bruxelas, menos uma em Portugal), esta agência europeia informa que “44 casos confirmados de Ómicron foram comunicados por 11 países da União Europeia e do Espaço Econômico Europeu [UE/EEE]”.

Os países em causa são, além de Portugal, Áustria, Bélgica, República Checa, Dinamarca, França (Reunião), Alemanha, Itália, Países Baixos, Espanha e Suécia, precisa o ECDC, que cita “informações de fontes públicas”, como autoridades de saúde.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: