Conselho da Comunidade de SP promove encontro de boas vindas com novos associados

Por Odair Sene

No último dia 10 de outubro o Conselho da Comunidade Luso Brasileira do Estado de São Paulo, órgão representativo das associações lusas sediadas neste estado, inaugurou um novo modelo de evento, que tem por objetivo recepcionar os novos associados e promover a confraternização entre todos.
Após a reunião de trabalho do Conselho, o presidente Dr. Manuel Magno Alves disse ao Mundo Lusíada que este primeiro evento é uma espécie de “programa piloto”, e que terá nas próximas vezes, até show de fados e outras atrações.
“Este projeto nasceu de um planejamento estratégico que nós iniciamos em 10 de abril deste ano [2018], sendo um dos tópicos deste planejamento, o qual visa organizar o Conselho da Comunidade para (pelo menos) os próximos cinco anos, dando um norte para que seja seguido e o Conselho possa se projetar neste futuro”, disse.
Manuel Magno referiu que neste primeiro encontro com os novos associados, o CCLB visa receber, dar boas vindas e promover o congraçamento entre o órgão e os novos integrantes. “Não se trata de nenhuma crítica à outras gestões não, mas antes, as pessoas se associavam ao Conselho, e ninguém falava com elas, elas não iam para lugar algum, apenas recebiam os comunicados dos eventos e mais nada, então nossa ideia é integrar esses novos associados na nossa Comunidade, fazer ele participar dos eventos, até porque temos muitos novos associados que nos pedem para participar, ajudar, colaborar, então nós queremos cooptar essas forças no sentido de fazermos uma comunidade melhor”.
Muitas pessoas procuram entidades portuguesas, luso brasileiras, como uma entidade, ou a assinatura de um jornal luso brasileiro (como o Mundo Lusíada) ou ainda uma associação ao Conselho da Comunidade, para fins de nacionalidade, por conta da emissão de uma declaração, documento que pode ser anexado como comprovante de ligação entre o cidadão interessado na dupla nacionalidade e a comunidade portuguesa.
O presidente do Conselho entende que há sim os interessados apenas neste fim e outros com sentido de estreitar sua convivência à cultura portuguesa, e este novo associado é sempre bem vindo: “O cidadão vem e diz que precisa se associar para fazer a nacionalidade lá na frente, mas se ele for bem recebido, se for conversado, e se ele integrar-se perfeitamente, ele começa a fazer parte da comunidade, vem nos eventos, ele vai ter a nacionalidade lá na frente, mas já estará participando da nossa comunidade muito antes, este é nosso objetivo”, falou Magno dizendo que, independente do motivo que o cidadão pediu a associação junto órgão, o Conselho pretende trazer essas pessoas para que frequentem os eventos, a carta-declaração é fornecida após um ano de associação.
“Mas eu penso que, se nós acolhermos bem essas pessoas, embora com objetivo de ter esta declaração, e terão daqui um ano, elas poderão nos ajudar fazendo parte integrante da nossa comunidade, que é o mais legal disso tudo, ela veio com um objetivo, mas que acabou se transformando em um outro, que é a participação efetiva na comunidade, este é o nosso trabalho”, referiu o presidente.
Ao Mundo Lusíada o presidente do Conselho ainda falou sobre um trabalho que o órgão poderá fazer para aproximar, não só os associados mas muitos familiares de descendentes e até de portugueses que não frequentam a comunidade portuguesa.
“Temos trabalhado nisso, eu repito aqui o que disse na reunião de diretoria, vamos falar muito do nosso ‘planejamento estratégico’ porque tudo será trabalhado em cima disso. Este planejamento é nosso norte e para seguirmos este norte temos vários trabalhos a serem feitos, essas comissões que serão nomeadas, vão tratar disso, elas vão visitar as casas regionais, vão levantar informações do porque as pessoas não são associadas, não comparecem, e da mesma maneira os familiares dessas pessoas, e de diretores dessas casas, nossa idéia é sim trazer todo mundo de volta, infelizmente (repito) essa sistemática que existia era assim, ele chega, se associa e estava bom, pagava, o CCLB recebia, está de bom tamanho, não é isso que nós queremos, dessa maneira a comunidade morre, como aliás, muitas casas já estão diminuindo muito, enfraquecidas, exatamente por isso, portanto temos que nos unir sim, para que nossa comunidade fique cada vez mais pujante e forte, essa é a ideia”, disse.
Por fim o presidente Magno elogiou o novo Cônsul Geral que chegou a São Paulo. O Cônsul Paulo Nascimento (que era Embaixador no Senegal) chegou no dia 10, no mesmo dia foi marcada uma reunião com o presidente do Conselho, o que aconteceu logo no dia seguinte, e que seria de meia hora se estendeu para uma hora e meia e a impressão, segundo Manuel Magno, foi a melhor possível. “Ele me parece uma pessoa muito sensata, muito transparente, uma pessoa muito calma, e com ideias boas, dentro do que você pergunta em termos de Conselho, eu pedi a ele uma reunião com os presidentes de todas as casas regionais, ele imediatamente acedeu, marcamos para dia 16 de outubro, terça feira, no Consulado. O que eu quero é que ele diga quais são os planos para a gestão dele neste período (quatro anos) e os presidentes das casas, os representantes, falem ao cônsul dos seus anseios, suas críticas, enfim, o que eles sentem em relação ao Consulado, é esta a aproximação que precisa, e o Cônsul tem que entender, é que a nossa comunidade pode representar um apoio importante para ele, enquanto Cônsul Geral”, disse Manuel Magno ao Mundo Lusíada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto:

Send this to a friend