Turistas estrangeiros ultrapassam os nacionais em Aldeia Histórica de Castelo Rodrigo

Da Redação com Lusa

A Aldeia Histórica de Castelo Rodrigo, no concelho de Figueira de Castelo Rodrigo, distrito da Guarda, registrou em 2022 um total de 75.769 visitantes, com os turistas estrangeiros a ultrapassarem os nacionais.

“Depois de ter sido distinguida pela Organização Mundial de Turismo (UNWTO) com o prêmio Best Tourism Villages, a Aldeia Histórica de Castelo Rodrigo registou 75.769 visitantes em 2022, um aumento de mais de 80% face ao ano anterior, em que registrou 41.892 visitantes”, referiu a Câmara Municipal de Figueira de Castelo Rodrigo em comunicado.

Segundo a nota, uma das particularidades notadas no aumento de visitantes “é o número de turistas estrangeiros a ultrapassar, em larga margem, o número de turistas nacionais”.

“Em 2021, Castelo Rodrigo recebeu 22.953 portugueses e 18.939 estrangeiros. Já em 2022, o número de visitantes portugueses subiu para 27.026 e o número de estrangeiros para 48.743”.

Relativamente ao número de visitantes estrangeiros, o município presidido por Carlos Condesso adiantou que o destaque vai para os turistas provenientes dos Estados Unidos da América, com 16.353, valor que corresponde a “quase um terço do total dos visitantes registados que vêm de fora do país”.

“Este aumento deve-se muito ao turismo fluvial no rio Douro, com os passageiros a entrarem no concelho, depois de desembarcarem no Cais Turístico e Fluvial de Barca D’Alva”, justificou o município.

Aos turistas provenientes dos Estados Unidos da América seguem-se os ingleses (11. 164), os espanhóis (6.088) e os alemães (5.198).

“Há outras nacionalidades a passar por Castelo Rodrigo, essencialmente turistas franceses, suíços, belgas, austríacos, brasileiros, israelitas, noruegueses, holandeses, canadianos, finlandeses e italianos”.

Para o presidente da Câmara Municipal de Figueira de Castelo Rodrigo, o aumento de visitantes verificado em 2022 deve-se “à valorização” da Aldeia Histórica de Castelo Rodrigo, ao turismo do Interior e “também à prioridade que os turistas e visitantes têm dado” à história, à cultura e ao patrimônio edificado.

“Aqui [em Castelo Rodrigo], cada recanto tem um encanto, há mistério, e cada pedra da muralha revela segredos. Por isso, se valoriza o tempo e a qualidade do espaço e da oferta numa das melhores aldeias turísticas do mundo, que ainda é habitada, que tem vida e que tem sido gerida no sentido de ser preservada para o futuro, respeitando sempre o seu passado”, afirmou.

O autarca salientou, ainda, que os números divulgados “são apenas os que estão registados no Posto de Turismo, sendo que o número total de visitantes é muito superior, tendo em conta a dinâmica que se verifica diariamente em Castelo Rodrigo, demonstrando que a sua promoção e divulgação traz resultados profícuos não só para a aldeia, mas também para a economia local do concelho”.

Como exemplos da valorização da Aldeia Histórica apontou a aposta na Recriação Histórica da Batalha de Castelo Rodrigo, o Turismo Literário (com iniciativas como a Rota Turística Literária “Viagem do Elefante” e o Off Road Caminho de Salomão), bem como o melhoramento de acessos pedonais e rodoviários.

“Naturalmente que o envolvimento da comunidade local e o bom acolhimento e a qualidade da oferta dos agentes que aí operam também é de relevar, diante de números tão surpreendentes”, rematou Carlos Condesso.

Castelo Rodrigo é uma das 12 localidades da Rede das Aldeias Históricas de Portugal, que também abrange Almeida, Belmonte, Castelo Novo, Castelo Mendo, Idanha-a-Velha, Linhares da Beira, Marialva, Monsanto, Piódão, Sortelha e Trancoso.

Piodão

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: