Portugal inaugura no Porto seu primeiro hotel econômico

Da Redação Com Lusa

O primeiro hotel de baixo custo em Portugal, o Star Inn, abriu suas portas em 22 de outubro, no Porto, região norte portuguesa, sendo que o preço de um quarto varia entre 30 (R$ 90) e 70 euros (R$ 210).

O conceito do hotel "é low cost, começando no projeto, passando pela construção, decoração e terminando nos serviços", disse Manuel Proença, presidente do grupo Hotti Hotéis, responsável pela gestão do Star Inn.

O estabelecimento, que emprega uma dezena de pessoas e recorre a subcontratação de serviços, foi instalado na antiga sede da empresa de construção Soares da Costa, sendo que a sua adaptação representou um investimento de 5 milhões de euros (R$ 15 milhões).

"O projeto foi todo orientado no sentido de ter um baixo custo", disse. "Os materiais utilizados são baratos, embora de qualidade". Segundo explicou, a idéia é reunir num mesmo espaço desde um administrador a um operário, o custo mais baixo da diária é de 29,99 euros (R$ 89,9).

O preço está, no entanto, destinado às reservas efetuadas com maior antecedência, semelhante ao que acontece nas companhias de aviação, cujo custo é mais elevado quanto mais próximo da data da viagem.

Serviços Com 206 quartos, o hotel disponibiliza internet gratuita, tela de LCD nas habitações com canais via satélite e ar condicionado.

Kits de higiene e almoço são pagos a parte, com a possibilidade do cliente comprar por 5 euros (R$ 15) o café da manhã.

Além disso, há um restaurante por quilo no hotel, que possibilita o cliente a pagar quanto precisar, dependendo do quanto pretende comer. Há também um café 24 horas.

"Escolhemos como modelo para esta área de restauração uma área de serviço, onde cada um escolhe o que quer", disse Manuel Proença.

Planos Proença afirmou ainda que este investimento "resulta de uma parceria entre a Soares da Costa e a Hotti Hotéis, que pretende ter 10 unidades hoteleiras low cost no país nos próximos cinco anos".

No total, as 10 unidades representarão cerca de 80 milhões de euros (R$ 240 milhões) e serão construídos ou instalados em edifícios adaptados.

Os projetos para as unidades de Aveiro e Lisboa são aqueles que estão numa fase mais adiantada, e a idéia é abrir os estabelecimentos "noutras capitais de distrito, por serem hotéis urbanos, vocacionados para novos viajantes, que ficam uma, duas noites nas cidades", frisou Manuel Proença.

Sem querer adiantar números, o diretor do Star In afirmou que esperava para o dia "alguns clientes", considerando "boa" a perspectiva de ocupação para os próximos dias..

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Send this to a friend