Governo assegura programa “Verão Seguro 2024” para maior segurança a turistas

Da Redação com Lusa

 

A ministra da Administração Interna defendeu neste dia 05 em Faro que o programa “Verão Seguro 2024” irá dar “mais e melhores” condições de segurança aos turistas nacionais e estrangeiros que escolherem Portugal como local de férias.

Margarida Blasco sublinhou que esta operação irá “proporcionar mais e melhor condições de segurança e de proteção aos cidadãos ou àqueles que escolheram Portugal” para passarem as suas férias de verão.

A responsável governamental presidiu esta manhã à apresentação do Programa “Verão Seguro 2024”, em vigor entre 15 de junho e 15 de setembro, feito pelas principais autoridades de segurança e de proteção civil do país.

A ministra da Administração Interna realçou a importância de PSP, GNR e Proteção Civil promoverem “respostas mais integradas neste período”, realizarem um “trabalho colaborativo” e desenvolverem “ações coordenadas e complementares”.

Esta operação repete-se todos os anos durante o verão, altura em que há um crescente número de turistas nas zonas na área de responsabilidade territorial destas forças, como no Algarve, onde se regista um aumento substancial de população.

O programa ‘Verão Seguro’ realizava-se apenas no Algarve, mas em 2023 foi alargado a Lisboa, Porto e praias com maior pressão turística, devido ao aumento de turistas e à Jornada Mundial da Juventude.

A Guarda Nacional Republicana (GNR) vai, por exemplo, reforçar o patrulhamento, apoio e fiscalização, sobretudo em zonas de maior aglomerado de veraneantes e turistas.

As ações da Guarda abrangem os locais de veraneio, eventos, os estabelecimentos e locais de diversão noturna, os principais eixos rodoviários, fronteiras, residências e proteção da floresta.

Por seu lado, a Polícia de Segurança Pública (PSP) tem como objetivo aumentar o sentimento de segurança da população na época estival, concentrando a sua capacidade operacional em zonas balneares, turísticas e comerciais, zonas de diversão noturna, áreas residenciais e principais eixos rodoviários, especialmente aqueles que servem as zonas balneares e nos quais se verifica um maior afluxo de pessoas e viaturas, bem como um maior número de utilizadores dos transportes públicos.

Margarida Blasco escusou-se a falar sobre as negociações com os sindicatos da PSP e associações da GNR, apesar da insistência dos jornalistas, limitando-se a repetir que só irá abordar esse tema com a comunicação social depois da reunião entre as duas partes prevista para 09 de julho próximo.

Tempo quente

Sete distritos do continente estão hoje sob aviso amarelo devido à previsão de tempo quente, com vários concelhos em perigo muito elevado de incêndio rural, segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

Os distritos de Évora, Beja, Portalegre, Setúbal, Castelo Branco, Guarda e Bragança vão estar sob aviso amarelo até às 18:00 de hoje devido à persistência de valores elevados da temperatura máxima.

O aviso amarelo, o menos grave de uma escala de três, é emitido pelo IPMA sempre que existe uma situação de risco para determinadas atividades dependentes da situação meteorológica.

Por causa do tempo quente, os concelhos de São Brás de Alportel e Tavira, no distrito de Faro, estão hoje em perigo máximo de incêndio rural.

Mais de 50 concelhos dos distritos de Faro, Bragança, Guarda, Castelo Branco, Portalegre, Vila Real, Viseu e Beja estão também hoje em perigo muito elevado de incêndio.

No sábado, oito concelhos do distrito de Faro, dois em Portalegre e seis em Bragança vão estar em perigo máximo de incêndio rural.

De acordo com os cálculos do IPMA, o perigo de incêndio vai manter-se elevado em alguns distritos pelo menos até terça-feira.

Este risco, determinado pelo IPMA, tem cinco níveis, que vão de reduzido a máximo e os cálculos são obtidos a partir da temperatura do ar, umidade relativa, velocidade do vento e quantidade de precipitação nas últimas 24 horas.

O IPMA prevê para hoje no continente, céu pouco nublado ou limpo, possibilidade de ocorrência de aguaceiros dispersos e acompanhados de trovoada no interior Norte e Centro durante a tarde e vento fraco a moderado, sendo forte nas terras altas.

Está também prevista uma descida da temperatura máxima exceto no nordeste transmontano e na Beira Alta.

As temperaturas mínimas vão oscilar entre os 16 graus Celsius (no Porto, Guarda, Coimbra e Leiria) e os 22 (em Faro) e as máximas entre os 24 (em Aveiro) e os 39 (em Évora).

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: