Gasto de turistas estrangeiros no Brasil cresce 6% no primeiro semestre

Da Redação

A receita gerada pelo turismo internacional no Brasil, de janeiro a junho, registrou alta de 5,94% na comparação com o 1º semestre de 2017. Em visita a destinos brasileiros no período, os viajantes estrangeiros deixaram no País US$ 3,24 bilhões, US$ 180 milhões a mais que nos primeiros seis meses do ano passado (US$ 3,06 bi), de acordo com dados do Banco Central brasileiro.

“Os dados reforçam que o turismo é um vetor da economia e como tal deve ser tratado”, comentou o ministro do Turismo, Vinicius Lummertz. A variação positiva acompanha a alta na chegada de turistas internacionais no período.

A entrada de turistas estrangeiros no Brasil aumentou 8% no primeiro semestre em comparação com os primeiros seis meses de 2017: foram 3,15 milhões de visitantes internacionais, segundo números preliminares divulgados pelo Ministério do Turismo com base nos dados da Polícia Federal.

Cinco dos seis primeiros meses do ano tiveram receita superior à do ano passado: janeiro (+17,8%), fevereiro (14,2%), abril (19,6%), maio (2,3%) e junho (0,5%).

Já a despesa cambial turística, valor gasto pelos brasileiros no exterior, caiu em junho. Passou de US$ 1,51 bilhão (2017) para US$ 1,49 bi, o que corresponde a -1,5%. No acumulado do ano, no entanto, a despesa cambial foi de US$ 9,57 bilhões correspondendo a um percentual de 8,72% superior ao mesmo período de 2017 (US$ 8,81 bilhões).

Gastronomia avaliada

A mistura de culturas que contribuiu para a formação da identidade do brasileiro tem na gastronomia uma de suas principais marcas. Não é à toa que a culinária nacional, com ingredientes de tradições indígenas a europeias, tem sido anualmente um dos itens mais bem avaliados pelos estrangeiros que visitam o país.

Em 2017, dois estados se destacaram entre 17 pesquisados pelo Ministério do Turismo: São Paulo, cuja gastronomia alcançou 97,3% de avaliações positivas, e Brasília, com seus restaurantes aprovados por 97,7% dos turistas internacionais.

A capital federal vem despontando no cenário gastronômico nacional e investindo na diversidade culinária e em empreendimentos de nível internacional. Se a cidade está no topo com a qualidade de seus restaurantes, na culinária o percentual de aprovação do turista estrangeiro também é expressivo: 96,8% gostaram do que experimentaram. Prova da visibilidade de Brasília no cenário turístico é que ela atingiu a segunda colocação na categoria “destinos em alta” na América do Sul no prêmio Travellers’ Choice 2018, organizado pelo site de viagens Trip Advisor.

O chef brasiliense Rafael Madeira aponta como um dos fatores para o aumento da visibilidade da gastronomia candanga a preparação do mercado para a Copa do Mundo de 2014. “Houve uma grande mobilização para que restaurantes e profissionais se preparassem para receber turistas estrangeiros durante os jogos. A partir daí houve uma evolução no cuidado com os empreendimentos e na valorização de ingredientes locais como diferencial”, explica Madeira, proprietário de um restaurante de culinária contemporânea mediterrânea, na Asa Sul da capital.

Na gastronomia, a cidade de São Paulo recebeu este ano o título de Capital Ibero-Americana da Cultura Gastronômico e também foi destaque na pesquisa do MTur, com 97,3% de aprovação. Outros estados ficaram bem próximos da marca paulista – é o caso do Distrito Federal, Goiás, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Rio Grande do Sul e Santa Catarina, que alcançaram percentuais na casa dos 96%.

O Espírito Santo foi o estado que apresentou maior aumento em 2017, em relação ao ano anterior, na avaliação positiva da gastronomia. Cresceu 3%, alcançando aprovação de 96,9% dos visitantes internacionais.

Quando o assunto é restaurantes, o maior salto comparativo ficou com Goiás, com um aumento de 91% para 95,8% no percentual de turistas que elogiaram os estabelecimentos goianos, segundo o estudo do MTur.

Na avaliação geral, a culinária do Brasil recebeu avaliação positiva de 95,7% dos turistas estrangeiros e os restaurantes foram aprovados por 96,4%, confirmando a gastronomia como um importante ativo do turismo brasileiro. Em 2017, o país recebeu 6,6 milhões de turistas estrangeiros, número recorde da série histórica.

A pesquisa, realizada pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) para o Ministério do Turismo, avalia 18 itens de infraestrutura e serviços turísticos, tais como segurança pública, transportes, sinalização, alojamento, diversão e hospitalidade, entre outros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto:

Send this to a friend