Presidente português considera Greta “símbolo” do problema das alterações climáticas

Da Redação
Com Lusa

O Presidente de Portugal considerou que a jovem ativista sueca Greta Thunberg é um “símbolo” e uma “chamada de atenção” para os que ainda não levam a sério o problema das alterações climáticas e do aquecimento global.

“É um símbolo de gerações mais jovens, mas também de uma chamada de atenção a todos aqueles que, sendo menos jovens, não levam tão a sério o problema das alterações climáticas e do aquecimento global. É um real. É um problema de hoje, é um problema de amanhã. É um problema de todos nós”, declarou Marcelo Rebelo de Sousa, à margem da entrega do título de Doutor Honoris Causa ao escritor Mário Cláudio, na Universidade do Porto.

Questionado pelos jornalistas sobre a Greta Thunberg ter sido eleita a “personalidade do ano” de 2019 pela revista Time, o chefe de Estado afirmou que a jovem ativista “representa não só o sentir das novas gerações em relação a um problema que é um problema essencial da vida de todo o mundo, como representa uma chamada de atenção para outras gerações mais velhas e que muitas vezes são menos atentas àquilo que preocupa os que vão viver mais tempo para além de nós”.

Greta Thunberg passou na semana passada por Portugal com o objetivo de participar em iniciativas no âmbito da Conferência das Nações Unidas sobre as Alterações Climáticas (COP25), em Madrid (Espanha).

No Brasil
Nesta terça-feira, em Brasília, o Presidente Jair Bolsonaro chamou a ativista sueca de “pirralha”, após a ambientalista ter alertado para as lutas dos povos indígenas e mostrado preocupação com o assassinato de líderes nativos no Brasil.

Ao sair do Palácio da Alvorada, Bolsonaro questionou a cobertura jornalística dada a Thunberg, de 16 anos, que no último domingo usou a rede social Twitter para partilhar informação sobre o assassinato de mais dois indígenas no estado brasileiro do Maranhão.

“A Greta já disse que os índios morreram porque estavam a defender a Amazônia. É impressionante a imprensa dar espaço para uma pirralha dessa aí. Pirralha”, declarou o chefe de Estado a jornalistas, em Brasília.Bolsonaro referia-se às declarações da jovem no Twitter, em que afirmou que “os povos indígenas estão literalmente a ser assassinados por tentar proteger a floresta da desflorestação ilegal. Repetidamente. É vergonhoso que o mundo permaneça calado sobre isso”.

Logo após as críticas de Bolsonaro, Greta Thunberg atualizou a sua biografia no Twitter para “Pirralha”, o mesmo termo usado pelo chefe de Estado para a descrever.

O comentário de Bolsonaro sobre a adolescente segue a mesma linha daqueles já efetuados pelo seu homólogo norte-americano, Donald Trump, que, em setembro, respondeu sarcasticamente a um vídeo da jovem ativista sobre sofrimento humano, morte de ecossistemas e iminente extinção em massa.

“Ela parece ser uma jovem menina muito feliz, que está a caminho de um futuro maravilhoso e brilhante. Muito bom ver isso”, ironizou Trump na ocasião. Greta respondeu a Trump da mesma forma que retribuiu a Bolsonaro, colocando na sua biografia do Twitter as observações feitas pelo chefe de Estado.

Thunberg tornou-se um símbolo para os jovens que exigem mudanças radicais para enfrentar as mudanças climáticas, tendo a ativista sueca desencadeado greves escolares globais.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: