Ministro português nega discriminação de brasileiros

Mundo Lusíada

João Relvas/Lusa Portugal

Em Portugal não há discriminação em relação aos cidadãos brasileiros. A garantia é do ministro português da Administração Interna, Rui Pereira, em entrevista à Agencia Lusa.

Recentemente, uma matéria divulgada pelo portal UOL, trouxe como manchete "Mulheres brasileiras em Portugal sofrem com a discriminação e têm dificuldade para alugar apartamento". O veículo, que traz a discriminação em Portugal como "um fato", cita um estudo do Alto Comissariado para a Imigração e Diálogo Intercultural (Acidi), realizado em julho de 2007.

Dos 400 brasileiros ouvidos pela pesquisa e que vivem em Portugal, 45,3% responderam ter visto "bastantes" casos de discriminação de parte dos portugueses em relação aos brasileiros. Os entrevistados que viram "alguns" casos de discriminação, chega a 71,9% dos consultados.

"Temos uma cultura que não introduz nenhum fator de xenofobia e favorecemos políticas de integração. Nós não praticamos qualquer discriminação em relação aos brasileiros. Portugal é um país com uma tradição profundamente humanista em matéria de migrações", garantiu Rui Pereira.

O ministro lembrou que Portugal ficou em segundo lugar, logo após a Suécia, em um recente estudo feito pela União Européia sobre os países que têm tido mais sucesso na integração de imigrantes. A pesquisa levava em consideração os 27 países do bloco, além de Noruega, Islândia e Canadá.

Rui Pereira reforçou, entretanto, que a imigração legal é favorecida em Portugal, ao mesmo tempo em que é combatida a imigração ilegal, normalmente associada, segundo ele, a fenômenos sociais gravíssimos, como tráfico de pessoas.

O ministro disse ainda que foi aprovada no ano passado a nova lei de imigração portuguesa, que prevê a possibilidade de regularização de imigrantes, desde que tenham entrado legalmente no país, possuam contrato de trabalho e contribuam para a Segurança Social.

Desde outubro de 2007, foram deferidos mais de 7 mil pedidos de regularização de imigrantes em Portugal, dos quais cerca de 5 mil foram de brasileiros, segundo o ministro. As autoridades portuguesas estimam que o número de imigrantes brasileiros ilegais em Portugal seja equivalente aos 70 mil que já têm situação regularizada.

Conflito Para o sociólogo luso-brasileiro entrevistado pelo portal, Marcos Gaspar, os portugueses adoram a cultura brasileira, música, literatura, telenovelas, futebol, o nordeste do país. Mas por outro lado, sentem-se incomodados com a grande presença de brasileiros em Portugal, pela disputa por empregos ou por problemas da prostituição.

A reportagem ainda enfatiza que na última década, Portugal transformou-se em um país de imigração, com 10% de sua população sendo de origem estrangeira, aumento que se deve pela "sua entrada na União Européia", trazendo emigrantes provenientes da América do Sul (principalmente Brasil) e países do leste europeu (Ucrânia, Moldávia, Roménia e Rússia). Com Lusa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Send this to a friend