Consulado de Portugal no Rio alvo de uma inspeção da Polícia Judiciária

Da Redação
Com Lusa

Paulo Pisco - Foto: Manuel Dias

O Consulado-Geral de Portugal no Rio de Janeiro foi alvo em maio de uma inspeção diplomática acompanhada por inspetores da Polícia Judiciária portuguesa, desconhecendo-se ainda publicamente as suspeitas em causa, segundo um deputado do PS.

A situação chegou ao conhecimento do deputado socialista Paulo Pisco na sequência de uma visita que efetuou ao Consulado-Geral de Portugal no Rio de Janeiro em 17 de junho, o que o levou a dirigir um requerimento ao ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros, Paulo Portas, a solicitar informações sobre o caso em 21 de junho.

Segundo o requerimento, a que a agência Lusa teve acesso, “o Consulado-Geral do Rio de Janeiro desde há bastante tempo que era objeto de queixas da comunidade portuguesa devido a problemas e dificuldades relacionados com o atendimento consular, suscitando até no passado recente algumas inspeções diplomáticas”.

“Entre as queixas e críticas mais frequentes feitas pela comunidade portuguesa estavam os problemas e dificuldades no atendimento, a demora para a obtenção de documentos e o favorecimento de algumas pessoas exteriores ao consulado para a resolução de alguns problemas”, acrescenta o documento.

Paulo Pisco refere também que, na sequência da visita que efetuou recentemente ao Consulado-Geral, soube que “uma nova inspeção diplomática acompanhada de agentes da PJ esteve no consulado no passado mês de maio, muito pouco tempo depois de o novo cônsul-geral assumir funções”.

“A presença de uma nova inspeção diplomática acompanhada de agentes da Polícia Judiciária (PJ) suscita a maior apreensão” e “evidencia certamente suspeitas graves de irregularidades ou situações anómalas”, lê-se no requerimento.

Questionado pela Lusa sobre se se trata de um caso inédito na vida consular portuguesa a realização de uma inspeção diplomática acompanhada pela PJ, Paulo Pisco, deputado pelo círculo da Europa, disse não ter conhecimento de “nenhuma outra”.

“Habitualmente, quando há alguma dúvida relativamente ao funcionamento dos serviços, o que existe são inspeções diplomáticas, que depois internamente, dentro do Ministério dos Negócios Estrangeiros, fazem as diligências que consideram necessárias. Mas agora com inspetores da Polícia Judiciária não tenho conhecimento de nenhuma”, realçou.

Paulo Pisco acrescentou que “a partir do momento em que há uma inspeção da PJ, e não apenas a inspeção diplomática, é porque haverá suspeitas de anomalias graves e de irregularidades sérias também”, considerando que “só assim se justifica a presença dos inspetores da PJ” naquele Consulado-Geral, onde, de acordo com o deputado, trabalham 32 funcionários.

No requerimento Paulo Pisco solicita ao ministro Paulo Portas que esclareça, nomeadamente, “que tipo de suspeitas de irregularidades ou situações anómalas motivou a ida da PJ ao Consulado-Geral do Rio de Janeiro”.

Contactado pela Lusa, o porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros referiu que está a recolher informações sobre este caso e remeteu para sexta-feira eventuais esclarecimentos.

A Procuradoria-Geral da República também foi contactada sobre o assunto, mas não deu qualquer resposta até ao momento.

3 Comments

  1. Infelizmente, não me espanta esta situação.
    Existem procedimentos um tanto “turvos” em todo o lado, mas que no meu entender, no consulado do Rio de Janeiro existe mesmo algo muito estranho.
    Por exemplo, o Consulado do Brasil em Portugal é território Brasileiro, os funcionários são Brasileiros, faz todo o sentido.
    No consulado de Portugal no Rio de Janeiro, a meu ver, como se trata de território Português, devia ter funcionários Portugueses, o que não acontece. Infelizmente estive que entrar em contacto com o consulado via telefone e depois de estar em espera 50 minutos do meu número português, fui atendido por uma funcionária Brasileira que não me soube responder as minhas questões e ainda foi desagradável a um cidadão português. Incrível!
    Por isso, não fico admirado que exista corrupção no “nosso” consulado…como consegui constatar, existe uma espécie de “culto” no que diz respeito a procedimentos supostamente legais.

  2. Boa tarde,
    Meus comentários:
    O que li acima faz sentido sim! cada vez que preciso dos serviços consulares em SP,já fico stressada ,atendimento péssimo e com desdém!agora , em outro endereço ,as normas mudaram e tudo é feito com orientações acessando o site,mesmo assim existem muitas dúvidas nas informações,você envia e-mail e telefona ,ninguém te dá retorno ,a gravação é sempre a mesma , linhas ocupadas “em caso de dúvida envie e-mail” – agora, foi engraçado que desta ultima vez, depois de ficar quase 2 meses esperando por uma resposta,fui atendida por uma pessoas jovem super simpatica e para não falar que só criticamos ,tem os elogios que é de suma importância enviei e-mail elogiando os serviços prestados, me respondeream no dia seguinte agradecendo e informando que o referido e-mail havia sido encaminhado para área competente!!!!como assim !fiquei dois meses esperando resposta de e-mail que eu havia enviado por 2 vezes e ninguém me respondeu ,foi só elogiar que eles responderam no dia seguinte…Os valores cobrados são exorbitantes e quando é feita solicitação em carácter de urgência os valores vão nas alturas e que não pode como fica?

  3. Como assim ? O Consolado Português no Brasil nao tem embaixador portugueses ? Mesmo uma funcionaria de atendimento; devia por regra ser Portuguesa . Ou essa embaixada so tem os afins de servir os o interesses do governo Português, e nao das comunidades Portuguesas ai residentes… Enfim

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto:

Send this to a friend